Os ativistas da cidade de Concord, em Massachusetts, nos EUA, convenceram a prefeitura do município a proibir a venda de garrafas PET na cidade. A medida é resultado de uma que campanha que incentiva o consumo da água das torneiras e combate o desperdício das garrafinhas descartáveis.

A decisão da prefeitura só veta a venda do PET com conteúdo menor ou igual a um litro, uma vez que as garrafinhas de água causam vários danos ao meio ambiente. De acordo com os ativistas que lideraram a campanha, chamada de “Ban the Bottle”, o engarrafamento produz, diretamente, mais de 2,5 milhões de toneladas de dióxido de carbono por ano, sem contar os recursos de transporte e armazenamento da água. Além disso, os ativistas também apuraram que, só em 2007, a população dos EUA comprou mais de 50 bilhões destas unidades.

A lei, que passou a vigorar no primeiro dia de 2013, pune os cidadãos que vendem estas garrafas. O órgão fiscalizador da medida é a Divisão de Saúde de Concord, que vai dar advertências aos transgressores e aplicar multas aos reincidentes – que variam de US$ 25 (na primeira reincidência) até US$ 50 (para infrações recorrentes).

Com a ação punitiva, as autoridades públicas de Concord esperam que os habitantes do município estadunidense passem a consumir com mais frequência a água dos bebedouros instalados nos locais públicos, além de incentivar a redução da produção das garrafas d’água.

Embora a determinação revele que as autoridades públicas estão preocupadas com o meio ambiente, nem toda a população de Concord está contente com a nova lei. De um lado, as indústrias do setor alegam que as garrafinhas de água incentivam as pessoas a adotarem um estilo de vida moderno e saudável. De outro, os comerciantes vão perder alguns clientes, que conseguem comprar as garrafinhas em localidades bem próximas de Concord. Com informações do The Huffington Post.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.