No que depender da população brasileira, o país deve direcionar recursos às fontes de energia renováveis, principalmente solar e eólica. Este foi um dos resultados apresentadores pela pesquisa a respeito das políticas energéticas brasileiras, realizada pelo DataSenado, em parceria com a Universidade de Columbia (EUA).

O material foi divulgado na última quarta-feira (22) durante a reunião da Comissão de Serviços de Infraestrutura. De acordo com o estudo, 85% dos participantes disseram apoiar novos investimentos brasileiros em energia solar e eólica.

Além disso, 68% dos entrevistados também se mostraram favor à criação de medidas governamentais que obriguem as empresas que produzem energia a terem essas fontes como prioridade.

Quando o assunto foi um possível aumento nas contas de energia para reduzir o desperdício, 79% dos entrevistados demonstraram discordância total ou parcial com a medida. Por outro lado, os cidadãos se mostraram dispostos a optar por equipamentos mais eficientes, mesmo que isso signifique pagar mais.

A tecnologia, aliás, foi muito valorizada pelos participantes. Além de aprovarem o desenvolvimento de eletrodomésticos mais eficientes, 55% das pessoas opinaram pela instalação de medidores mais modernos, que ajudem a evitar o desperdício nas redes de distribuição de energia. Em contrapartida, 79% dos entrevistados são contra o aumento nas contas de energia como incentivo à redução no consumo. 

A pesquisa foi realizada por telefone, com cem pessoas acima de 16 anos.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.