Por Luana Scalla, repórter do portal de casamentos Zankyou Brasil  

Tão urgente quanto olhar para o nosso impacto no mundo, é encontrar aliados nesta jornada. Afinal, se me permitem complementar Tom Jobim, não só é impossível ser feliz — mas também proteger o planeta — sozinho.

Por isso, histórias como a de Nina Scheliga e Pedro Oliveira nos inspiram e emocionam. O casal está há sete anos junto e resolveu oficializar o matrimônio em uma celebração que espelha seus valores, crenças e luta conjunta pela sustentabilidade ambiental.

casamento sustentável

Para entender como chegaram ali, precisamos olhar para trás. Os dois se conheceram em um trabalho voluntário e desde sempre compartilharam o inconformismo sobre injustiças e desigualdades. Não à toa, ambos seguiram profissionalmente no terceiro setor e sempre tiveram pautas ambientais como protagonistas em suas vidas, ainda mais reforçadas depois que Pedro começou a trabalhar no Greenpeace, reconhecida ONG ambientalista.

O casal que já vive junto há quatro anos implementa rotinas domésticas sustentáveis, o que fez com que a decisão de organizar um casamento com as mesmas preocupações fosse natural. “Eu não ia me sentir bem gerando um impacto enorme, gerando lixo, principalmente durante um evento que eu estava promovendo”, conta Nina. “E principalmente não entrar no mundo do casamento só por que é uma ‘onda’ e não questionar estas coisas”.

A busca por uma festa sustentável

Do primeiro fornecedor ao último, Nina e Pedro priorizaram a conexão com a natureza, o consumo sustentável e mínima geração de lixo. E os desafios começaram já na escolha da assessora: “Não queríamos cair no papo de vendedor ‘ah, sim a gente faz assim pra vocês’ e depois não faz, como já aconteceu em muitos casos. Então fomos buscar uma assessora que realmente entendesse esta nossa vontade”, relembra a noiva.

Após garantir uma profissional empenhada em apoiá-los nesta busca, começou a busca pelo melhor local. A ideia dos noivos é que fosse um lugar com muito verde, para que houvesse uma conexão com a natureza e que facilitasse as escolhas sustentáveis.

Após uma exaustiva procura, eles viram na Vila Mandacaru, um espaço rústico em Itu, interior de São Paulo, não só o verde que buscavam, mas também profissionais dispostos a ajudá-los a fazer uma cerimônia sustentável. “A gente conversou com o pessoal para ver como podíamos gerar o menor impacto possível e conseguimos, por exemplo, utilizar móveis que já existiam ali. A gente também contratou a decoradora da Vila, que já sabia que o lugar era tão bonito que nem precisava de tanta decoração”, explica Nina.

Ainda sobre a decoração, eles ainda contaram com uma mãozinha especial, a da mãe da noiva, que fez parte dos itens decorativos, como os filtros dos sonhos e outras coisas que eles poderiam levar para casa depois e garantir que não virariam lixo. Para complementar, eles substituíram as tradicionais flores por vegetações que não envolviam agrotóxico.

Todas as outras decisões e escolhas seguiram este mesmo caminho. Os convites e relacionamento com os convidados foi online, nada foi impresso. O casal desistiu de fazer lembrancinhas, que muitas vezes acabam sendo descartados. E na escolha das vestimentas prezaram marcas sustentáveis como Insecta e Osklen e, claro, um vestido de noiva feito em um ateliê pequeno e devolvido depois.

A negociação para fechar o bar também foi crucial: “Combinamos que não podia ter nada de plástico, nem um pote, nem um canudo, nada que poderia ser descartável. Na hora de decidir a bebida, por exemplo, optamos por latinha de cerveja porque ela é mais reciclável que o vidro no Brasil”, conta Nina.

O buffet teve um cardápio quase todo vegetariano, contando com apenas uma opção de frango no prato principal. O tradicional bolo de casamento foi substituído por bolos menores, feitos pelas madrastas do casal. “Elas fizeram um bolo bem simples, estilo café da vó, para combinar com o ar rústico e simples que a gente queria”, relembra.

O dia de celebrar o amor e a conexão

Poucas tradições mantidas, novos rituais para recordar. Assim foi a cerimônia de Nina e Pedro. O casal oficializou o matrimônio em uma clareia no meio das árvores e resolveram percorrer o corredor até o altar juntos, porque creem que por já compartilharem um mesmo trajeto há muito tempo, nada fazia mais sentido que trilhar este caminho também em união.

Celebrada pelo pai do noivo, o casamento contou com fortes emoções, como a fala de amigos e membros da família e um momento diferente em que o casal plantou uma árvore da Mata Atlântica juntos. “Pegamos ela em um centro do SOS Mata Atlântica que coincidentemente existe em Itu. Foi um ato simbólico, tanto da nossa união quanto da sustentabilidade”, disse.

A festa seguiu com as melhores partes do protocolo: arremesso do buquê, agradecimento dos noivos e muita música acústica, estilo voz e violão. A celebração ainda foi embalada ao som do dj e só terminou quando a própria natureza quis. “Desde o começo da festa estava ventando, com previsão de chuva, o que nos deixou com medo. De fato choveu em alguns momentos, mas a gente continuou dançando na chuva, o que foi muito gostoso. O horário para a festa acabar era às 23hrs e foi quando a chuva apertou, marcando a hora perfeita para terminar”, relembra Nina.

Não só para o casal, mas para todos presentes, o casamento foi um momento de reforçar a crença no amor e em nossa conexão com o todo ao redor. “A gente está passando por momentos muito difíceis no mundo e muita gente começa a desacreditar no amor e nas relações. Queríamos trazer que a gente precisa sim celebrar o amor, porque se a gente não celebrar o amor e não falar existem coisas lindas no mundo, de nada adianta lutar pelo planeta que a gente quer”, complementa ela.

Dicas da noiva para quem quer uma festa sustentável

Após narrar o quão especial foi a organização e celebração de seu casamento, Nina reforçou que nem tudo são flores e deixou dicas valiosas para casais que queiram seguir o mesmo caminho.

A primeira coisa é ter em mente de que não adianta contratar aquele fornecedor famoso e super recomendado, mas que não trabalha com sustentabilidade, achando que poderá fazer com que ele se adapte. “Isso foi algo que a gente foi percebendo no meio do caminho e foi bastante frustrante”, afirma.

Infelizmente é preciso seguir o caminho das pedras. Atualmente não há muitos fornecedores trabalhando com uma pegada sustentável no Brasil, mas há profissionais que entendem e valorizam o tema, basta uma dose de paciência na procura. Uma vez fechado com este perfil de fornecedor, o diálogo fica muito mais fácil e você não precisará se preocupar no dia do casamento.

Outra dica é optar por fornecedores menores, em que você consegue acessar diretamente as pessoas que realmente estarão trabalhando durante sua cerimônia. “E isso faz toda a diferença. Se é muito grande, pode acontecer como aconteceu com um de nossos fornecedores, em que no preparatório explicamos tudo para uma pessoa, porém no dia havia outra pouco inteirada de nossas preocupações com lixo”, conta Nina.

Tente também não se deixar cair na conversa de que tudo é essencial para o seu casamento. Até fornecedores mais sustentáveis te dirão que ‘você precisa de um tapete no corredor do altar’ ou ‘aquela folhagem na entrada’. “Foque no que você precisa fazer e não entre neste papo. Claro que tem sugestões legais, mas também tem coisas para um casamento perfeito digno de Pinterest e, se você tem um viés mais sustentável e/ou um orçamento mais curto, você precisa voltar para casa, olhar pra sua lista e dizer o que fica e o que não fica”, reforça Nina. 

Outro desafio inesperado foram os convites digitais, “porque nem os convidados, nem os assessores estão muito acostumados em não ter um convite de papel e aí eles não conseguem te assessorar muito”. Então garanta um bom relacionamento com seus convidados, para que mesmo que seja um convite digital, você possa passar a vibe do seu casamento.

E se você leva o tema sustentável muito à sério, outra dica é começar a fazer pesquisas com muita antecedência, abrindo o leque para fontes de informação internacionais. “O tema sustentável em casamentos está muito forte lá fora e li coisas que nem imagina no meio do caminho. Por exemplo, eu não sabia que arranjo de flor tem uma espuma verde que é horrível para o meio ambiente e não temos quase nenhum florista trabalhando em alternativas para isso”.

A última e não menos importante dica da noiva se resume em uma palavra: paciência. “Você pode pesquisar um monte, fazer um monte de coisa, mas no dia vai acabar aparecendo um plástico que você nem imaginava ou alguém que não entendeu a proposta, então tente se desapegar disso”.

Sabemos que a sustentabilidade ainda é um campo a ser explorado no Brasil, e não é diferente no setor de casamentos. Mas a mudança vem com a demanda, por isso é preciso que a cada dia mais casais como Nina e Pedro se empenhem para celebrar o amor de forma respeitosa e coerente com o planeta e todo o nosso redor.

Fornecedores: Lugar: Villa Mandacaru (Itu) / Décor: Bohemian Village Décor / Assessora: Avec Toi / Cabelo e beleza: Gisele Barbosa / Buffer: Arquitetando Paladar / Doces: Soul Sweet / Drinks: Luiquid Drinks / Dj: DJ Cohen / Banda: Santa Jam Vó Alberta / Vestido da noiva: My Vintage Dress / Roupa do Noivo: Osklen / Sapato dos noivos: Insecta / Alianças: Lina Prades / Bolos: familiares / Filtro dos sonhos: Sonhos Crochet (mãe da noiva) / Fotografia: São Paulo Fotografia / Photobooth: Flash Urbano