Pesquisadores da Universidade de West England, no Reino Unido, desenvolveram um banheiro que utiliza o xixi para gerar energia. Apesar de ser uma técnica já aplicada em circunstâncias semelhantes, o modelo criado por eles foi pensado, principalmente, para ajudar comunidades isoladas no continente africano.

O mictório utiliza uma célula de combustível microbiana para transformar a urina em eletricidade. A tecnologia funciona a partir da utilização de micróbios vivos, que se alimentam da urina para o seu próprio crescimento e manutenção, transformando diretamente o xixi em energia.

Além de ter um funcionamento simples, o banheiro ajudaria a levar luminosidade às regiões afastadas na África, ajudando a evitar os ataques a mulheres em campos de refugiados.

Um protótipo do mictório já está em fase de testes na universidade e tem se mostrado bem sucedido. A energia produzida é suficiente para manter as luzes acesas sem o auxílio de tecnologias caras e complexas. A eletricidade também seria suficiente para abastecer um aparelho celular.

O xixi já foi usado como combustível alternativo no Brasil também. Em 2013, o trio elétrico do AfroReggae, no Rio de Janeiro, instalou mictórios adaptados, onde a urina dos foliões era usada para movimentar um dínamo e gerar energia. Veja aqui os detalhes desta experiência.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.