- Publicidade -

Pesquisadores do Instituto de Física de Rennes, na França, desenvolveram uma nova maneira de utilizar a seda das aranhas na criação de circuitos eletrônicos para computadores. Os testes para a criação dos chips são coordenados pela física Nolwenn Hubby, que descobriu que as teias de aranha têm capacidade de conduzir a luz, assim como as redes de fibra ótica.

Durante os testes, os cientistas elaboraram um circuito integrado utilizando apenas as teias. Nesta experiência, os pesquisadores descobriram que o material tem capacidade suficiente para conduzir a luz de um ponto a outro – podendo, num futuro próximo, substituir o papel desempenhado pelo vidro e a fibra ótica nos circuitos eletrônicos.

No entanto, houve uma falha durante um teste e uma parte da informação no circuito perdeu o contato com a teia. Porém, os cientistas dizem que o circuito ainda será aprimorado, uma vez que o problema pode ser reparado.

- Publicidade -

Se, para o uso em circuitos eletrônicos, os estudos ainda precisam ser melhorados, em breve a medicina poderá se beneficiar mais ainda das teias de aranhas, que, por serem constituídas de um material extremamente fino, podem ser usadas para exames em locais inacessíveis do corpo, auxiliando no diagnóstico prévio de muitas doenças.

A pesquisa constatou que a teia de aranha é um material simples, mas que esconde incríveis propriedades. Dez vezes mais finos que os fios de cabelo de um ser humano, os filamentos de seda produzidos pelas aranhas são mais resistentes que o kevlar (material utilizado na confecção de artigos à prova de balas) e mais fortes que o aço, além de serem biodegradáveis e de poderem ser absorvidas pelo corpo humano. Com informações do TechTudo.

Redação CicloVivo

- Publicidade -