Pesquisadores da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, desenvolveram uma bateria que pode durar até dez anos. A tecnologia pode ser a solução para os gadgets que possuem bateria com vida curta e, por isso, tornam-se facilmente descartáveis.

A invenção trata-se de um novo eletrodo de bateria feito de hexacianoferrato de cobre. Este material permite que o os íons, que dão energia à bateria, entrem e saiam do eletrodo mais facilmente.

Tal composto químico é bem mais resistente que as baterias comuns de Li-On, que se desfazem mais facilmente. Desta forma, a bateria criada pelos cientistas pode ser recarregada mais rápido e ter maior durabilidade.

O resultado é uma bateria que pode sobreviver a 40 mil ciclos de carga, o que representa cem vezes mais que uma bateria comum de íons de lítio. Tudo isso pode fazer com que ela seja utilizável por um período de dez a 30 anos.

Por enquanto, as baterias ainda não podem ser distribuídas para uso comercial. Antes disso, será preciso que os pesquisadores descubram um ânodo com tensão bem baixa para o cátodo (eletrodo negativo de uma fonte elétrica de alimentação) de alta tensão. Os pesquisadores continuarão seus estudos para melhorar o desempenho da tecnologia. Com informações do Gizmodo.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.