material pele de camelo refrigera
Foto: MIT

A evaporação de água de um material faz com que ele esfrie. Mas, uma vez que a evaporação termina, o efeito de refrigeração também se encerra.

Com base neste princípio, cientistas do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) desenvolveram um material inspirado na pele de camelos que é capaz de manter objetos refrigerados, sem o uso de eletricidade.

A pelagem do camelo atua como uma capa isolante que protege a pelo do animal do calor extremo e permite ao mesmo tempo que o suor evapore. O resultado é que o efeito de refrigeração dure por mais tempo porque o camelo continua suando, mas não na mesma proporção que suaria sem este isolamento.  

Imagem: Reprodução | www.cell.com

O material criado pelo MIT funciona de uma maneira similar, com duas camadas: uma de hidrogel na parte inferior e uma capa de gel poroso com silício por cima. O hidrogel é composto por 97% de água que evapora quando há calor, fazendo com que a temperatura do gel caia na sequência.  

A camada superior de gel poroso tem uma condutividade térmica muito baixa e não absorve muito calor do ambiente. Com isso, o hidrogel que fica na parte inferior se mantem resfriada por mais tempo e graças ao efeito da evaporação prolongado.

Em testes de laboratório, uma camada sem proteção do hidrogel perdeu toda a sua água em 40 horas, a uma temperatura de 30°C. No entanto, quando o material foi coberto com a camada de gel poroso, este processo passou para 200 horas, com a mesma temperatura.

Com o efeito de evaporação prolongado a temperatura do hidrogel para 7°C e, sem a camada de proteção, esta temperatura ficou nos 8°C. Apesar das temperaturas serem bastante próximas, o tempo em que elas se mantiveram teve uma variação muito grande – de 40 para 200 horas com o uso da camada de gel poroso.

Imagem: Reprodução | www.cell.com

Outra vantagem deste material é que após a evaporação total, é possível recuperar o hidrogel simplesmente colocando água.

O material ainda está em fase de testes e a sua produção em larga escala ainda é bastante cara. O próximo passo da equipe de cientistas é justamente encontrar maneiras de produzir o hidrogel e o gel poroso de uma maneira mais fácil e barata.

O objetivo é que este material ajude pessoas em locais sem acesso à rede elétrica no armazenamento de alimentos e medicamentos.

Para mais informações, acesse www.cell.com.