A maratona de Paris, realizada no último domingo (7), demonstrou que em uma corrida os participantes não só gastam, eles também podem gerar energia. Para que isso fosse possível, a organização contou com tapetes tecnológicos que transformaram as passadas em eletricidade.

A competição contou com a presença de 40 mil corredores e com o apoio da Schneider Electric, empresa patrocinadora, responsável pela inserção da tecnologia na prova. O piso especial foi instalado somente em um trecho da prova. O tapete cinético foi espalhado por 25 metros da Champs-Elysées, uma das avenidas mais famosas da capital francesa.

Cada um dos quadradinhos tecnológicos inseridos no percurso é capaz de gerar oito watts de energia elétrica por pisada. No caso da maratona, toda a eletricidade produzida pelos corredores foi utilizada para abastecer telas informativas e sinais eletrônicos necessários para a organização da prova.

A Pavegen é a empresa responsável pela criação dos pisos cinéticos. Em declaração à Bloomberg, o diretor-chefe de marketing da companhia inglesa, Aaron Davis, explicou que a intenção é ajudar a reduzir as emissões de carbono e aumentar a eficiência energética em cidades por todo o mundo.

“Imagine se a sua corrida ou caminhada para o trabalho pudesse ajudar a alimentar as luzes das casas”, disse Laurenve Kemball-Cook, diretor-executivo da Pavegen. Ele completa dizendo que esta é uma tecnologia de fácil uso e aplicação.

A organização da corrida não informou a quantidade de energia gerada através do sistema na maratona de Paris. Com informações da Bloomberg e do Smart Planet.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.