Enquanto homens em todo o mundo usam buquês de flores para presentear suas amadas, o diretor de cinema James Cameron foi muito além. O canadense usou “flores” solares gigantes para demonstrar seu amor por sua esposa.

O “buquê tecnológico” foi planejado pelo próprio cineasta, que dedicou três anos ao projeto. A estrutura é dividia em cinco grandes blocos, cada um deles mantendo o formato de uma flor, equipada com placas fotovoltaicas.

O sistema foi instalado na Escola Muse, fundada pelo casal e localizada na no estado da Califórnia. A instituição é o primeiro colégio vegano de todo os Estados Unidos.  A escola segue diversos conceitos ligados à sustentabilidade e os novos captadores de energia solar tendem a reforçar ainda mais a preocupação dos idealizadores com os cuidados ambientais e com a conscientização dos alunos e famílias que frequentam o local.

Para aproveitar ao máximo o potencial, as flores são móveis e acompanham o sol durante todo o dia. O sistema deve ser capaz de produz a energia necessária para garantir de 75% a 90% de toda a eletricidade usada no funcionamento da escola. A produção varia de acordo com as condições do clima, mas, estando na Califórnia, sol não deve ser um problema.

Para incentivar outras pessoas a seguirem o seu exemplo, James Cameron está preparando um material com todas as etapas de construção das flores solares para compartilhar o conhecimento e promover o uso das fontes renováveis de energia, seja em grande ou pequena escala.

Clique aqui para conhecer mais sobre a escola vegana criada por James Cameron e sua esposa, Susy Amis Cameron.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.