- Publicidade -

Quase um FarmVille da vida real, o projeto dos engenheiros eletrônicos Brian Falther e Austin Lawrence consiste em uma experiência social sobre agricultura. Assim como acontece em um dos jogos mais populares do Facebook, a ideia é oferecer condições para que os indivíduos possam cultivar vegetais e compartilhar os resultados com uma rede de pessoas.

O projeto é chamado de “Future Tech Farms”, cuja proposta é criar pequenas culturas que possam ser controladas por um único indivíduo. Em menor escala, será possível cuidar de peixes e plantar vegetais, como alface e outras verduras, além de ervas, como manjericão.

Através de um site, o usuário pode então fotografar e acompanhar o progresso de seus produtos. Em seguida, pode interagir com outros membros da rede, compartilhando informações, e, inclusive, competir para ver quem consegue plantar mais rápido.

- Publicidade -

A intenção dos engenheiros é ajudar os usuários a entenderem os benefícios da agricultura sustentável. “Acreditamos que a perspectiva de jogo torna o projeto único. Se a aprendizagem é divertida, as pessoas ficam mais ansiosas para aprender”, afirmou Lawrence ao Kettering University.

Esse projeto é uma versão mais acessível de uma ideia anterior da dupla, que consistia em aplicar as fazendas urbanas em grande escala, em contêineres e nos grandes edifícios abandonados da cidade. Apesar de afirmarem a necessidade desse tipo de projeto, reconhecem o enorme custo para colocá-lo em prática.

"Nós percebemos que há uma necessidade de fontes alimentares sustentáveis em grande escala", diz Lawrence. "Mas, percebemos também que há uma necessidade vital para a formação, e este projeto de menor escala pode satisfazer essa necessidade", completa.

A rede ensinará os usuários sobre a qualidade da água e o pH do solo, fatores que influenciam no crescimento do alimento.  Tudo isso é realizado em caixas chamadas de "sistemas de cultivo pessoal". Veja mais sobre o projeto aqui. Para acompanhar o desenvolvimento da ideia, clique aqui. Com informações do Kettering University.

Redação CicloVivo

- Publicidade -