Aparelho transforma restos de comida em gás de cozinha

O biogás gerado por meio do biodigestor é uma fonte alternativa de energia limpa

biogás

Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), um terço dos alimentos produzidos para consumo humano no mundo é perdido ou desperdiçado.

A maior parte desses alimentos vai parar em lixões e aterros sanitários, emitindo gases de efeito estufa na atmosfera. Mas, se depender de uma empresa com sede em Israel esse problema pode virar solução.

A empresa HomeBiogas é a responsável por desenvolver um dispositivo que transforma os resíduos alimentares em biogás e biofertilizante. Cada quilo de resíduo orgânico depositado no biodigestor gera o equivalente a uma hora de uso de gás. Pensada para uso residencial, a solução pode ajudar o usuário a economizar com custo de energia ou gás de cozinha.

O biogás gerado por meio do biodigestor é uma fonte alternativa de energia limpa e substitui o uso da eletricidade, do propano ou do gás natural.

Após a instalação o HomeBiogas 2.0 pode levar entre 2 a 4 semanas para começar a produzir gás. Depois disso, a produção de gás deve ser ininterrupta, contanto que você alimente a unidade com lixo orgânico.

Foto: Divulgação

Dentro do HomeBiogas 2.0, os resíduos são decompostos naturalmente por meio de bactérias, o que faz liberar o biogás. O que sobra vira um adubo natural, que pode ser utilizado em hortas e jardins.

O tanque infla gradualmente quando o gás está pronto para ser utilizado. O produto já vem com um fogão de uma boca acoplado ao biodigestor e produz gás suficiente para até três horas de uso diários na cozinha.

O equipamento também foi criado para auxiliar, por meio de projetos sociais, famílias de baixa renda em locais onde é comum cozinhar usando madeira ou carvão vegetal, o que gera poluição do ar e prejuízos à saúde.

Clique aqui para saber mais sobre o produto, que está a venda no Brasil por R$ 5.900,00.

Veja também: a máquina que poderá ser a solução para comunidades que vivem sem saneamento básico.

Redação CicloVivo