A rede de supermercados britânica Thornton’s Budgens lançou em Londres na última quinta-feira (8) o primeiro setor totalmente livre de plástico do Reino Unido. A chamada “plastic-free zone” (zona sem plástico) conta com mais de 1.700 itens totalmente livres de plástico em suas embalagens.

Assim como os holandeses da rede Ekoplaza, responsáveis pelo primeiro corredor sem plástico do mundo (veja aqui), a iniciativa do Budgens também contou com o apoio do grupo A Plastic Planet, que estimula e ajuda redes de supermercado do mundo inteiro a implementar as “zonas sem plástico”.

Os saquinhos plásticos, que originalmente acompanham frutas e legumes, foram substituídos por redinhas feitas de fios de fibra de celulose advindos de florestas de árvores nativas e certificadas.

Foto: Thornton’s Budgens

Polpa de celulose, papel, metal, vidro e cera de abelha foram os outros dos materiais alternativos usados ​​para embrulhar alimentos como pão, queijo e vegetais.

A rede provou que não é tão difícil assim começar a retirar o plástico das embalagens, já que levou apenas algumas semanas para implementar o projeto. Seguindo o modelo, as outras lojas do grupo também deverão replicar o modelo das “zonas sem plástico”.

Foto: Thornton’s Budgens

Andrew Thornton, fundador da Thornton’s Budgens disse que reduzir e aumentar a conscientização sobre a poluição plástica é uma questão de grande importância. “Acreditamos em tomar uma posição forte em questões importantes que afetam o nosso bem-estar e nosso planeta”, disse ele em nota.

“Enquanto os grandes varejistas afirmam que levará 10 anos para criar uma mudança real livre de plástico, a Budgens da Thornton mostrou que podemos começar a nos livrar do plástico em 10 semanas”, comentou Sian Sutherland, co-fundador do A Plastic Planet ao jornal britânico The Independent.

Foto: Thornton’s Budgens

Imposto sobre embalagens de plástico

No fim de outubro Philip Hammond, Ministro das Finanças Britânico, anunciou que um novo imposto sobre embalagens plásticas já está confirmado para o próximo orçamento.

As empresas de alimentos e bebidas serão taxadas em embalagens plásticas que não incluam pelo menos 30% de conteúdo reciclado, para reduzir a dependência de “plásticos virgens” que são difíceis ou impossíveis de reciclar, como bandejas de polipropileno usadas em alimentos e canudos de plástico. Porém, a nova taxa só deve entrar em vigor em abril de 2022. Ela cobrirá os plásticos produzidos no Reino Unido e os importados.

Banimento dos descartáveis

Recentemente a União Europeia também aprovou uma lei para banir o uso de plástico descartáveis. A meta é que os plásticos descartáveis que não possuem alternativa ecológica sejam reduzidos em pelo menos 25% até 2025. (saiba mais)