reciclagem de roupas

A empresa sueca de moda H&M acaba de inaugurar um sistema de reciclagem de roupas em sua loja. Instalado em uma unidade no centro de Estocolmo, o maquinário poderá ser usados pelos clientes. 

O sistema, batizado de looop, fica visível a todos que visitam a loja. De forma que mesmo quem não queira utilizá-lo poderá acompanhar como é feita a reciclagem de roupas. Além de um grande chamariz para a causa, mata a curiosidade sobre o funcionamento do processo.

“Estamos empenhados em fechar o ciclo da moda e esta máquina mostra aos clientes que os têxteis antigos têm um valor e nunca devem ser desperdiçados”, afirma a H&M em comunicado à imprensa. 

Looop

A premissa do Looop é até óbvia, mas poucos podem ter se questionado: Será que já não há peças suficientes no mundo? Precisamos ainda extrair mais recursos naturais do planeta? 

“Se usarmos, por exemplo, uma camisa de algodão reciclado para fazer uma nova camisa, não há necessidade de cultivar mais algodão. Podemos apenas usar o que já foi produzido. Essa é a forma circular. E é disso que se trata o Looop”, explica a multinacional. 

O sistema de reciclagem usa uma técnica que desmonta roupas velhas e as transforma em roupas novas. As roupas são limpas, desfiadas e fiadas em novos fios que são então tricotados para virar uma peça novinha em folha. 

Durante o processo, alguns materiais virgens (e de fontes sustentáveis, garante a  H&M) são adicionados para fortalecer os fios, afinal, é preciso recriar peças boas e duráveis.  

O mais interessante é que tudo isso é feito sem água ou produtos químicos, ou seja, não tem nem comparação com o processo de fabricar roupas do zero. Confira abaixo as 8 etapas de transformação:

1. Limpeza

Primeiro a roupa velha ganha uma borrifada com ozônio para remover quaisquer microorganismos.

2. Fragmentação

A vestimenta é então fragmentada em pequenos pedaços de fibras de tecido.

3. Filtragem

Pedaços triturados são filtrados para remover a sujeira e material virgem extra é adicionado para fortalecer.

4. Cardagem

A mistura de fibra limpa é endireitada em uma teia de fibra e, em seguida, puxada em fatias.

5. Desenho

Várias fitas de fibra são combinadas para criar fitas ainda mais fortes e espessas.

6. Fiação

As fibras grossas são fiadas para criar um único fio de fio.

7. Torção

Os fios de um único fio são dobrados e trançados juntos para aumentar sua resistência.

8. Tricô

O fio é então tricotado em um novo design pronto para vestir.

Para realizar a transformação, a loja cobra 100 coroas suecas a membros de seu programa de fidelidade. Já para não membros, a taxa é de 150 coroas suecas. O dinheiro arrecadado é reinvestido em projetos relacionados à pesquisa de materiais. 

Inspirando

A tecnologia foi desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa de Têxteis e Vestuário de Hong Kong (HKRITA) e será licenciada para quem outros gigantes da moda possam adotar. 

reciclando fios

“Isso é importante porque, para criar uma mudança real, todas as marcas precisam ter acesso a tecnologias como Looop”, aponta a H&M.  

Se a ideia se expandir e chegar a outras marcas, pode ser um prato cheio para quem entende o impacto da moda, mas não gosta de brechós. Ressaltando, é claro, que o mais importante é sempre reduzir o consumo. 

Próximo passo

A marca possui um programa de coleta de roupas desde 2013 em que os clientes podem descartar roupas e tecidos de qualquer marca. A multinacional promete seguir inovando. “Nossa ambição é nos tornarmos totalmente circulares e positivos para o clima, e estamos trabalhando com muitos projetos interessantes para atingir esse objetivo”, garante. Uma grande meta é que até 2030 todos os vestuários sejam feitos com materiais reciclados ou adquiridos de forma mais sustentável.