A história “Fogões ecológicos promovem autonomia das mulheres Indígenas” ganhou o primeiro lugar em um concurso promovido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

O intuito era reunir trabalhos de destaque que têm contribuído para reduzir a pobreza e ajudar na prevenção e recuperação de crises. Além disso, foram inscritos programas ambientais e para o desenvolvimento sustentável.

O Brasil foi eleito o vencedor no segundo Concurso Anual de Histórias pela promoção do Desenvolvimento por um júri de especialistas internacionais. O evento reuniu 120 histórias enviadas de 66 escritórios de agências.

De acordo com a administradora do Pnud, Helen Clark, as histórias mostram o importante papel que as agências têm desempenhado ao redor do mundo e que elas lembram que as pessoas estão e sempre estarão no centro dos projetos do Pnud.

A história brasileira é sobre uma tecnologia desenvolvida com materiais de baixo custo. No lugar de cimento e ferro na construção, os fogões ecológicos desenvolvidos por ONGs e pelo Pnud são feitos com materiais que podem ser encontrados na própria região como areia, argila, barro e tijolos de barro.

Em segundo lugar, o concurso elegeu a reportagem de Bangladesh: “Promover a autonomia das mulheres na luta contra a pobreza”. O terceiro lugar também teve destaque e foi eleita a história da China: “Fazendeiros plantam semente para um futuro sem produtos químicos”.

Para ler a história vencedora, de Daniel de Castro e Jacob Said, assim como as reportagens que ficaram em segundo e terceiro lugar clique aqui. Com informações de Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

Redação CicloVivo

 

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.