carbono gol
- Publicidade -

No dia do aniversário do arquipélago de Fernando de Noronha, em Pernambuco, que completou 518 anos na última terça-feira (10), a Gol Linhas Aéreas entrega um presente a esse paraíso tropical. De forma pioneira no Brasil, com início em 1º de setembro, todos os voos da Gol de ida e volta para a ilha, a partir do Recife, terão emissão neutra de carbono. 

Esta iniciativa nasce de uma parceria entre a Gol e a MOSS, plataforma ambiental de crédito de carbono. A MOSS doará aos clientes da companhia aérea a compensação da pegada de carbono de suas viagens a Fernando Noronha, neutralizando as emissões totais poluentes tanto no trecho de ida, a partir de Recife, quanto no da volta para a capital pernambucana. 

Compensando o planeta

Desde o dia 5 de junho de 2021, os clientes da Gol podem voluntariamente compensar a emissão de carbono de suas viagens. Tal possibilidade, estabelecida também em parceria com a MOSS, é inédita na América Latina. #MeuVooCompensa é o título dado à iniciativa e à campanha. Veja aqui como funciona a compensação de voos nacionais e internacionais. 

- Publicidade -

No caso da ação em Pernambuco, ao comprarem os bilhetes para a ilha, todos os passageiros terão o direito de resgatar com a MOSS o certificado de créditos de carbono já compensados relativos aos seus voos, com o acréscimo de um convite para, se for do interesse do cliente, comprar o MCO2 para neutralizar as demais rotas que compõem sua viagem: São Paulo-Recife, Porto Alegre-Recife e Belo Horizonte-Recife, por exemplo, assim como a volta. 

O investimento da Gol e MOSS no carbono neutro em Noronha joga luz sobre a responsabilidade compartilhada: mitigar o impacto dos voos nas mudanças climáticas globais deve ser uma preocupação de cada pessoa que utiliza o serviço.

Das emissões totais em Fernando de Noronha, mais da metade provêm do transporte aéreo que serve à ilha, o principal meio de transporte. A Gol hoje opera 1 voo diário de ida e volta para o arquipélago. “Cada ida e volta ao arquipélago deixa uma pegada ambiental média de 14,18 toneladas de CO2e; em comparação, a cada 25 idas e voltas garantiremos um hectare de Floresta Amazônica preservada. Só no primeiro semestre de 2021, a Gol transportou 35 mil passageiros para Noronha – uma média de 5.830/mês -, além de 89 mil kg de cargas diversas e essenciais (dados da ANAC)”, explica a empresa. 

“Enquanto a Companhia não opera em Noronha fazendo uso do combustível sustentável de aviação – a solução definitiva para as emissões de carbono -, a compensação automática da pegada carbônica dos trechos voados pelos clientes é uma grande aliada para minimizar os impactos no meio ambiente”, afirma Pedro Scorza, comandante e assessor de projetos ambientais da Gol.

Noronha: carbono zero até 2030

Os voos com carbono neutro rumo a Noronha, além de estarem de acordo com as normas e tendências mundiais de preservação do meio ambiente, são um reforço para que a ilha cumpra sua meta do programa Carbono Zero. De acordo com o decreto estadual nº 306/2019 (Projeto de Lei Ordinária), será proibida a entrada, a partir de 10 de agosto de 2022, de carros que fazem a emissão de dióxido de carbono. E, a partir de 2030, todos os veículos movidos a gasolina, álcool e óleo diesel deverão ser retirados da ilha. 

“Fernando de Noronha é um dos destinos indutores do Turismo de Pernambuco e todas as ações de sustentabilidade ambiental, tanto do Governo do Estado quanto da iniciativa privada, colaboram muito para que a ilha atraia cada vez mais visitantes. A Gol está de parabéns por anunciar o voo carbono neutro”, destaca o secretário de Turismo e Lazer, Rodrigo Novaes.

- Publicidade -