desperdício de alimentos food to save
Produtos da Padoca Vegan, um dos estabelecimentos parceiros da Food to Save. Foto: Facebook | Food to Save
- Publicidade -

Em 2020, cerca de 811 milhões de pessoas passaram fome no mundo ao mesmo tempo em foram desperdiçadas 931 milhões de toneladas de alimentos. No Brasil, esta triste contradição se repete: o país está novamente no mapa da fome, com quase 50 milhões de pessoas nas faixas de insegurança alimentar grave ou moderada, enquanto muita comida vai parar no lixo, todos os dias.  

Os dados do Programa Mundial de Alimentos (WFP), da Organização das Nações Unidas (ONU) retratam um grave problema social e também ambiental. A perda e desperdício de alimentos deixa uma pegada de carbono de 3,3 gigatoneladas de CO2. Além disso, para a produção de comida que vai parar no lixo, são usados recursos naturais que acabam sendo também desperdiçados.   

Combater o desperdício de alimentos é uma das medidas mais importantes para solucionar o problema da fome e a crise climática, além do desequilíbrio ambiental. E um dos focos do desperdício está em estabelecimentos comerciais, como bares, restaurantes e padarias, que acabam descartando alimentos em perfeitas condições que estão próximos à data de vencimento ou são excedentes da produção.

- Publicidade -
food to save
Foto: Facebook | Food to Save

Atuando nesta etapa, entra a startup Food To Save. Com um modelo simples e sustentável, a empresa oferece aos consumidores próximos aos estabelecimentos parceiros, entregas de alimentos ou refeições com até 70% de desconto, evitando o desperdício, gerando receita para os comerciantes e economia para os clientes.

A foodtech já evitou que mais de 10 toneladas de alimentos fossem descartados na Capital Paulista e Grande ABC, nos últimos cinco meses.

A venda dos produtos é feita por meio de“sacolas surpresa”, que podem ser adquiridas via delivery ou retiradas diretamente nos estabelecimentos escolhidos.

São mais de 100 estabelecimentos cadastrados na Capital Paulista e Grande ABC, entre  restaurantes, padarias, hortifrutis, sacolões, docerias, e muitos outros.

“Queremos combater o desperdício de alimentos no País e fazer com que mais pessoas tenham acesso a bons alimentos. Se a gente pode fazer isso de forma mais sustentável e ajudando o meio ambiente, por que não?”

Lucas Infante, CEO e cofundador da startup
desperdício de alimentos food to save
Foto: Facebook | Food to Save

O CEO e cofundador da startup, Lucas Infante, revela tem como objetivo chegar a 600 estabelecimentos até o fim do ano, expandindo a atuação para todos os bairros da grande São Paulo, e muito em breve estar nas principais cidades do país.

Ainda segundo Infante, o diferencial da plataforma é também buscar estar presente em todos os lugares, desde bairros nobres até regiões mais periféricas.

Como funciona a Food To Save?

Os pedidos podem ser feitos direto no site da foodtech, ou pelo aplicativo, disponível para Android e IOS. Basta inserir o CEP da residência em que deseja receber os produtos ou retirá-los, e visualizar os estabelecimentos mais próximos que possuem sacolas disponíveis no dia.

De acordo com o que estiver disponível, a plataforma mostra o valor que deverá ser pago e o tipo de produto que irá na sacola surpresa, podendo o cliente escolher entre doce, salgada e mista. 

desperdício de alimentos food to save
Foto: Reprodução | Food to Save

Leia também: 10 passos para reduzir o desperdício de alimentos

- Publicidade -