growing change
Foto: Reprodução Facebook | Growing Change

Uma antiga penitenciária na Carolina do Norte, no sudoeste dos Estado Unidos, estava se transformando em ruínas quando a ONG Growing Change (Mudança Crescente em português) decidiu dar outro destino ao local.

Veteranos de guerra desempregados e jovens em situação de vulnerabilidade social encontraram no local a oportunidade de se transformarem em fazendeiros.

Reprodução Facebook | Growing Change

Desde 2011 a ONG se dedica a transformar antigas penitenciárias em fazendas urbanas ou centros de educação – solucionando muitos problemas de uma só vez.

O programa social une jovens condenados a penas que incluem  prestação de serviços comunitários e veteranos de Guerra desempregados. Durante o tempo que passam juntos, os dois grupos aprendem práticas de cultivo de alimentos, criação de animais e recebem atendimento psicológico durante o período que passam nas fazendas.

Reprodução YouTube | Growing Change

“A Carolina do Norte é um dos últimos 2 estados americanos onde a idade penal para qualquer crime é de 16 anos”, explica o fundador da Growing Change, Noran Sanford. “Com isso, quando são julgados, aos 16 anos estes jovens já têm uma ficha criminal que pode limitar permanentemente sua busca por empregos”.

Reprodução Facebook | Growing Change

Rompendo o ciclo vicioso

Em 2016, a fazenda Wagram passou a aceitar também jovens que enfrentavam situações de violência doméstica, abandono escolar, problemas mentais e dependência química – uma forma dar atendimento a estas pessoas antes que eles entrassem para o sistema prisional.

O modelo implantado por Sanford com atendimento psicológico e transformação de antigas prisões tem apresentado resultados impressionantes. A taxa de reincidência entre os jovens caiu 92%, sendo que a media nacional é de 43%.

Reprodução YouTube | Growing Change

“A base do nosso trabalho é instalar a esperança. Porque quando as pessoas perdem a esperança, cria-se um ciclo vicioso onde as coisas se tornam cada vez piores. Na área suburbana mais pobre isso se torna ainda pior – e nós estamos rompendo este padrão”, conta Sanford.  

Enquanto os jovens são atendidos e trabalham nas fazendas sustentáveis, os veteranos de guerra estudam ciências ambientais e agricultura sustentável em universidades parceiras.

Reprodução Facebook | Growing Change

Juntos, estes dois grupos distintos trabalham para dar nova vida a solos abandonados e que precisam de atenção e cuidados para voltar a produzir – e este solo é encontrados em penitenciárias desativadas que perderam a sua função.

Plantando esperança

Os benefícios gerados pelo trabalho da Growing Change não se limitam aos participantes dos programas sociais. Com as fazendas sustentáveis, a ONG garante alimentos de qualidade para os municípios onde atua.

Reprodução Facebook | Growing Change

A população da Carolina do Norte enfrenta problemas de saúde relacionados a uma dieta rica em alimentos processados e pobre em nutrientes. Isso ocorre porque muitos municípios não tem produção local de alimentos.

A cidade de Wagram, onde está uma das fazendas sustentáveis da ONG, é uma das mais pobres do estado, com altas taxas de desemprego e um sério problema de insegurança alimentar.

Reprodução Facebook | Growing Change

Com a população carcerária do país diminuendo consideravelmente nas últimas 2 décadas, a Carolina do Norte tem um número cada vez maior de penitenciárias sendo desativadas e dezenas já foram fechadas.

A ONG estima que existam 300 penitenciárias desativadas nos Estados Unidos.

Lugares com um novo significado

Este cenário garante que uma série de estruturas e terrenos possam ser ocupados e ganhem um novo significado como centros de arte e educação.

As antigas penitenciárias também são especialmente apropriadas para a instalação das fazendas sustentáveis graças à sua construção reforçada, cercas que podem ser aproveitadas para criação de animais e grandes áreas externas.

Reprodução YouTube | Growing Change

Uma área desativada que poderia ser um gasto para o município é doada para que se transforme em um espaço de inclusão social e produção de alimentos para a população.

A cozinha da antiga prisão se torna uma cozinha comunitária municipal onde serão dados cursos de culinária e engenharia de alimentos, além de receber alunos da rede municipal para aulas sobre nutrição e educação alimentar.

Os produtos das fazendas sustentáveis também são vendidos para restaurantes, o que garante verba para que o projeto se mantenha por tanto tempo.