galinhas pesticidas
Foto: arquivo pessoal

Um pequeno besouro estava devorando as maçãs da plantação de  Christophe Bitauld, um agricultor francês da região de Saulnières. Ao invés de apelar para os pesticidas, o produtor encontrou na natureza a solução para este problema: soltar galinhas em sua propriedade. A raça escolhida foi a castellana negra, natural da Espanha e também conhecida como galinha negra de Janzé.

O pesquisador agrícola Dominique Biche, havia notado que hortas onde as galinhas circulavam tinham a população de insetos drasticamente reduzidas e orientou Christophe a tentar esta alternativa para o controle biológico do seu pomar.

Foto: arquivo pessoal

As galinhas negras de Janzé são uma espécie particularmente rápida e com asas poderosas, o que facilita o acesso aos galhos mais altos. Em um primeiro momento, 80 galinhas foram soltas em uma parte da propriedade, para um teste.

Com as aves, a população de insetos caiu em 80%, uma taxa de controle semelhante aos pesticidas, sem oferecer os riscos que estes produtos tóxicos trazem.

Foto: arquivo pessoal

Com a eficiência das galinhas comprovada, Christophe aumentou a quantidade de galinhas e hoje tem 200 aves que solta alternadamente em partes da sua propriedade.

As galinhas saltam de tronco em tronco e percorrem o solo atrás de besouros e outros insetos nocivos às árvores e frutas. E, para completar o cuidado com o pomar, ovelhas realizam a “poda” natural do pasto entre as árvores enquanto se alimentam.

O agricultor conta que além de ajudar no controle de pragas, as galinhas produzem ovos de excelente qualidade.

Foto: arquivo pessoal

Além do combate aos besouros que estavam comendo as maçãs, as galinhas ajudaram a controlar outro inseto – vespas asiáticas que estavam atacando as colmeias mantidas pelo agricultor para a produção de mel.

“A galinha consegue pegar as vespas em pleno voo, é impressionante”, conta Christophe Bitauld.

Por suas descobertas, o agricultor recebeu um prêmio de 5 mil euros e hoje desenvolve um projeto em parceria com o Institut National de la Recherche  Agronomique (INRA) para criar mil galinhas negras de Janzé e levar as aves para outras propriedades agrícolas da França.