O acesso à cultura, ao livre brincar, ao lazer e ao contato com a natureza são essenciais para o pleno desenvolvimento de meninos e meninas. Em um país com cerca de 35,5 milhões de crianças – o equivalente a cerca de 17% da população, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2018 –, assegurar que todas as crianças tenham e cresçam com essas oportunidades torna-se pauta prioritária na criação de políticas públicas voltadas à infância. Nessa linha, três minidocumentários realizados a partir do filme O Começo da Vida 2: Lá Fora, produzido pela Maria Farinha Filmes, trazem reflexões de especialistas sobre a necessidade de assegurar o convívio com a natureza da primeira infância até a adolescência para um desenvolvimento saudável e equilibrado.

“Os minidocumentários propõem uma reflexão sobre a importância do ar livre durante a infância e contribuem para relembrar a sociedade de que é fundamental devolver às crianças a chance de viver uma infância livre, saudável e rica em natureza, e que essa experiência também é uma forma de cuidar do bem-estar do planeta”, diz Laís Fleury, membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza (RECN) e coordenadora do programa Criança e Natureza, do Instituto Alana, instituição patrocinadora do projeto.

O minidocumentário O Começo da Vida 2: Crescendo com a Natureza, oferecido pela Fundação Grupo Boticário, explora a necessidade de conservação do meio ambiente e a transmissão deste valor para as crianças, impactando as futuras gerações. O curta disponível no YouTube da Maria Farinha Filmes, mostra que é preciso se sentir parte da natureza para ter atitudes corretas em relação à preservação, processo que se inicia já no nascimento. Essas reflexões são feitas por especialistas de diversos países, como a antropóloga e primatóloga Jane Googall; o filósofo, professor e escritor Renato Nogueira; a administradora da Reserva Natural Salto Morato, Ginessa Corrêa Lemos; e o professor de psicologia e ciências ambientais na University of Washington, Peter Kahn.

“A natureza faz parte da nossa essência. O contato com áreas verdes é fundamental para nossa saúde e bem-estar. É comprovado que esse tipo de experiência reduz níveis de estresse e depressão. Além disso, melhora a imunidade, a qualidade do sono e estimula a criatividade. Conhecer é o primeiro passo para que possamos respeitar e preservar nosso patrimônio natural”, afirma Malu Nunes, diretora executiva da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, outra patrocinadora do projeto.

A chegada inesperada da pandemia da COVID-19 acentuou ainda mais as consequências da privação do contato com a natureza na vida das crianças. O aumento da ansiedade, do déficit de atenção na infância são alguns dos impactos da vida nos grandes centros urbanos em crianças e adolescentes. O minidocumentário O Começo da Vida 2: Saúde e a vida lá fora , oferecido por Oli Saúde e Programa Criança e Natureza, explora esses temas. Sujar as mãos, mexer na terra e ter contato com a natureza aumenta a imunidade e fortalece o sistema de defesa, apontam especialistas como Daniel Becker, sanitarista e ativista pela infância; e Léa Tiriba, professora da Escola de Educação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).

O terceiro minidocumentário, O Começo da Vida 2: Educação ao ar livre, oferecido por A Taba e Programa Criança e Natureza, questiona as metodologias tradicionais, como a disposição dos alunos na sala de aula. Trata-se de uma reflexão sobre como explorar o sensorial, estimular a brincadeira, o contato com outras pessoas e com o ambiente externo. Embora a produção do filme seja anterior à pandemia, as reflexões permanecem válidas para o cenário atual e poderão fazer ainda mais sentido durante a retomada das atividades no pós-pandemia. O curta debate como a escola pode ser ressignificada e evoluir para outros espaços, com depoimento de Léa Tiriba; do filósofo e escritor Tim Gill, um dos nomes mais relevantes do Reino Unido quando o assunto é infância; entre outros.

O filme

O Começo da Vida 2: Lá Fora foi lançado globalmente em novembro de 2020 na Netflix e distribuído pela Flow, uma spin-off da produtora Maria Farinha Filmes. O projeto tem patrocínio do Instituto Alana e da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, e apoio Institucional do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – PNUMA, Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, Fundação Bernard van Leer, Programa Criança e Natureza, Children & Nature Network – C&NN, FEMSA Foundation e United Way.

Assista aqui: O Começo da Vida 2 – Lá fora | Mini documentários no YouTube – Maria Farinha Filmes.