O ser humano pode se incluir, fazer parte do sistema, vivendo dele sem degradar os recursos para a vida. É com base nesse pensamento que o suíço Ernst Götsch desenvolveu o Sistema Agroflorestal Sintrópico. Nesta técnica, o plantio é feito de forma sincronizada com espécies agricultáveis (hortaliças, anuais e frutíferas) e espécies florestais nativas em alta densidade e diversidade, inspirado na própria forma de desenvolvimento das florestas.

A realização do plantio agroflorestal sintrópico só é possível graças à utilização de espécies de ciclo de vida curto, médio e longo, e que ocupem todos os “andares” de uma floresta (rasteiro, baixo, médio, alto e emergente).

Se respeitarmos estes princípios naturais, otimizaremos o aproveitamento da luz do sol, dos recursos hídricos e teremos plantios agrícolas mais produtivos e ambientalmente equilibrados.

Conteúdo Programático

Dia 19/08

Manhã: I- Teoria 

– Resgate e valorização dos saberes tradicionais 

– Princípios da Agricultura Sintrópica 

Intervalo

II- Início da prática

– Planejamento para o plantio agroflorestal 

– Preparo do solo e adubação orgânica

Tarde: Continuação da prática

– Plantio com sucessão vegetativa no espaço e no tempo 

– Desenvolvimento de consórcios de espécies vegetais 

– A função da poda como acelerador de processos (técnicas de manejo)

Facilitação

Murilo de Lima Arantes. Agroflorestor.Biólogo. Mestre em Ecologia e Meio Ambiente pelo INPA (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia). Experiência de implantação e manejo de Sistemas Agroflorestais no Cerrado, Floresta Amazônica e Mata Atlântica. Início dos estudos e prática dos princípios da Agrofloresta ensinados por Ernst Götsch em 2008. Em 2015 trabalhou no Instituto de Permacultura e Agrofloresta em Maui no Hawaii. Produtor rural; integrante da Coordenação do MAIS (Movimento de Agroflorestores de Inclusão Sintrópica) e co-fundador da empresa AgroSintropia, onde trabalha como Consultor e Instrutor de cursos de Agrofloresta Sintrópica.

Coordenação

Adão L. C. Martins, Brigitte Baum e Mirian M. Okada.

Inscrições:

Formulário de inscrição.

Público: Agricultores, hortelões urbanos, pessoas que trabalham em Viveiros, com hortas pedagógico-escolares, interessadas no tema e principalmente aquelas que tem vontade de serem multiplicadores de ações agroecológicas.

Vagas: 40 (haverá seleção dos inscritos)

Dias: 19 de agosto, segunda-feira

Horário: 8h30 às 16h

Local: Sede da UMAPAZ

Endereço: Av. Quarto Centenário, 1268

Pedestres: Portão 7A

Estacionamento: Portão 7 da Av. República do Líbano (Zona Azul)

Obs.: É recomendável que os participantes venham com roupas confortáveis, sapato fechado ou tênis, chapéu/boné. Tragam água ou caneca, protetor solar e repelente.