Por ONU

A ONU celebrou no último domingo (21) o sexto dia internacional da Yoga, reconhecendo a prática como uma abordagem holística de saúde e bem-estar e uma ferramenta poderosa para lidar com as inúmeras tensões provocadas pela pandemia de COVID-19.

A ioga é uma prática física, mental e espiritual milenar que se originou na Índia e agora é praticada de várias formas no mundo todo. A palavra “yoga” deriva do sânscrito e significa “juntar-se ou unir-se”, simbolizando a união do corpo e da consciência.

Combate à depressão, ansiedade

À medida que a pandemia de COVID-19 afetou as vidas de pessoas no mundo todo, foi observado um aumento de casos de depressão e ansiedade, à medida que as pessoas se adaptam às mudanças no estilo de vida.

“Durante minhas missões e o confinamento em andamento, a Yoga realmente me ajudou a manter a calma, o equilíbrio e o foco”, disse Silke Von Brockhausen, que atualmente mora em Nova Iorque, trabalha no Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e atua em emergências globais.

Os pais também podem achar útil manter seus filhos relaxados e fisicamente ativos, enquanto as escolas e as atividades de férias são canceladas.

“A Yoga é uma descoberta única”, afirmou Nagaraj Naidu, representante permanente adjunto da Índia nas Nações Unidas. “Eu vi isso me transformar, transformar minha família. A Yoga oferece enormes benefícios.”

As Nações Unidas proclamaram 21 de junho como o Dia Internacional da Ioga em 2014, com a adoção da resolução 69/131 da Assembleia Geral, endossando uma visão estabelecida pelo primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi.

Dicas para viver melhor na quarentena

A Organização Mundial da Saúde (OMS) enfatizou os benefícios da ioga desde os primeiros dias da crise de COVID-19, recomendando a prática como uma maneira de cuidar do bem-estar físico e mental em casa.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, citou a prática entre suas dicas para viver bem em quarentena, durante seu briefing à imprensa em 20 de março.

A Yoga também aparece com destaque no plano de ação global da OMS para a atividade física 2018-2030, que estabelece um vínculo entre o investimento em ações políticas para aumentar a atividade física e a consecução dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), particularmente o Objetivo 3 (boa saúde e bem-estar).

Saúde global é objetivo de longo prazo

Ter saúde não significa apenas não estar doente, disse o presidente da Assembleia Geral da ONU, Tijani Muhammad-Bande (Nigéria), em comentários na abertura da celebração virtual, deste ano, lembrando que ser saudável também significa bem-estar. “A saúde global é um objetivo de longo prazo”, declarou.

T. S. Tirumurti, representante permanente da Índia nas Nações Unidas, concordou, enfatizando que a celebração de 2020 é uma prova do apelo global da Yoga – e das evidências médicas e científicas substanciais que reconhecem sua eficácia na promoção de estilos de vida saudáveis.

A natureza das técnicas de Yoga, que combinam respiração e meditação, demonstrou serem eficazes contra sintomas de depressão e ansiedade e para aumentar a energia.

Sadhguru, fundador da Fundação Isha, levou os participantes a praticar Simha Kriya para aumentar a capacidade pulmonar. Especialmente durante uma crise, “é mais importante que, como seres humanos, funcionemos da melhor maneira possível”, disse.

“Você não pode se dar ao luxo de criar uma crise dentro de você.” As práticas de Yoga têm o poder de libertar as pessoas dessa mentalidade e melhorar o sistema imunológico. “É muito importante que continuemos vivos e física, mentalmente saudáveis”, disse ele, e que a humanidade “volte aos trilhos” o mais rápido possível.