Vagas de estacionamento viram microambientes de polinização e lazer

As “vagas verdes” foram implantadas na área central de São Paulo.



vaga verde
Espaço criado na rua Conselheiro Brotero

Com a proposta de criar microambientes urbanos, a Subprefeitura Sé cria vagas verdes no Centro da Cidade de São Paulo para ampliar as possibilidades de estar, lazer, permeabilidade e biodiversidade.

A Barra Funda foi escolhida para a implementação do projeto idealizado pelo Subprefeito da Sé, Roberto Arantes, o arquiteto paisagista, André Graziano e o biólogo, Rodrigo Silva. As vagas verdes estão localizadas nas ruas Conselheiro Brotero e Capistrano de Abreu.

As equipes da Sub-Sé transformaram vagas de estacionamento de carros em espaços gentis com jardins, bancos, mesas e paraciclo para bikes. Nos espaços foram plantadas árvores, inseridas em um jardim de chuva para “colher” as águas na cidade e minimizar os efeitos de alagamentos e de poluição nas vias públicas.

“Os microambientes diferenciados cumprem funções culturais, ecossistêmicas, paisagísticas, lúdicas e até esportivas. São exemplos de sustentabilidade ao alcance da população”, explica André Graziano. Entre as espécies plantadas nos jardins estão dracena-vermelha, eritrina, dracena marginata, rabo-de-galo, grama-amendoim, bromélia, alfazema, manjericão e agapantos.

Rodrigo Silva está muito feliz com a receptividade dos moradores. “O espaço já mudou a cara da rua e os moradores abraçaram a ideia. Ficamos muito felizes quando encontramos outras espécies plantadas nos jardins. É gratificante, pois sabemos que esses espaços serão cuidados com muito carinho pelos munícipes”, disse o biólogo.

Roberto Arantes esclarece que o projeto desenvolvido pela equipe amplia a mobilidade urbana. “Os ambientes que estamos criando não somente atendem estruturas de apoio à mobilidade, mas também se pretende que os atuais bolsões de estacionamento venham a ser complementados com espaços delimitados, gerando oferta de usos urbanos para seus usuários e ampliando o grau de gentileza municipal”, define o subprefeito.

Participação social

No começo do mês de agosto foram entregues para a população da Barra Funda quatro novas vagas verdes, localizadas nas Ruas Conselheiro Brotero e Capistrano de Abreu. A repercussão da implementação do projeto foi tão positiva que a equipe da Subprefeitura Sé está ampliando, além da Santa Cecília, para os demais distritos administrados pela Sub: Bela Vista, Bom Retiro, Cambuci, Consolação, Liberdade, República e Sé.

vaga verde

Abrimos, através das redes sociais da Sub-Sé, a participação dos munícipes que puderam enviar sugestões para criação de pequenos espaços nas ruas e avenidas do Centro para ampliar as possibilidades de estar, lazer, permeabilidade e biodiversidade com exemplos de sustentabilidade ao alcance da população.

Em uma semana recebemos 32 solicitações de paulistanos de locais para construção de vagas verdes. A equipe do Programa Gentileza Urbana vistoriou os locais entre eles: Marquês de Itu, General Jardim, Lavapés, Cesário Mota Jr., Nestor Pestana, Rocha, Almirante Marques de Leão,
Conselheiro Nébias, Pires da Mota, Gabriel dos Santos, Barão de Tatuí e Carmelitas.

O primeiro contemplado pela vaga verde foi o solicitante Gustavo Iocida Paternostro, cujo pedido foi realizado pelas redes sociais. A vaga verde será construída na Rua Pires da Mota, nº 537, na Aclimação.

Gentileza gera Gentileza

Há uma semana, Gustavo recebeu os coordenadores do programa, André Graziano e Rodrigo Silva, que apresentaram o desenho do projeto para a vaga verde em frente a casa da família Paternostro. Ele também contou um pouco sobre a sua vida e da paixão pelo meio ambiente.

A família é formada por três arquitetos, ele, a mãe e o pai. Gustavo falou que o pai é um grande cultivador de bromélias e que as árvores em frente à casa foram plantadas por eles e sua avó.

Durante os passeios com seu cachorro, ele conheceu os jardins de chuva que a Sub-Sé implementou em frente ao Parque da Aclimação. “Quando li o post sobre vagas verdes achei a ideia muito legal. Não achei que seria tão rápido. Fiquei surpreso!”, afirmou.

“Além de estudarmos a drenagem do local, a retenção das águas da chuva caem nessa rua com intensidade, nós desenhamos um projeto para contemplar todas as características do jardim de chuva: permeabilidade do solo, árvores plantadas fora do alcance da fiação, um espaço gentil com muito verde e bromélias”, explicou Graziano.

Já Rodrigo falou sobre as mudas de plantas ornamentais que virão dos viveiros municipais. “Vamos plantar uma muda rara de ipê verde, além das espécies nativas sugeridas pelo Gustavo”.

“A nossa equipe está satisfeita com a repercussão das vagas verdes que vão transformar a paisagem urbana. Recebemos muitas sugestões de locais nessa primeira etapa. Vamos começar o projeto pela casa da família Paternostro, na Aclimação. E iremos ampliar para os demais distritos. Ficamos felizes em irmos de encontro aos desejos da população. Gentileza gera gentileza e daremos aos moradores uma forma de dialogar diferente e que irá mudar o sentido de ver a Cidade: com muito mais carinho e pertencimento”, declarou o subprefeito da Sé, Roberto Arantes.

Programa Gentileza Urbana

O Programa Gentileza Urbana da Subprefeitura Sé procura criar
pequenos espaços nas ruas e avenidas do Centro para ampliar as possibilidades de estar, lazer, permeabilidade e biodiversidade. Integram o programa os projetos já entregues à população: bosques de conservação urbana, jardins de chuva, biovaleta, escadaria verde, calçada com poços de
infiltração e vagas verdes.

A meta estimada de áreas de jardins de chuva na região central é de 20 mil m2. Já entregamos 28 jardins de chuva. Três em execução e destaque para o da Rua 13 de Maio, no Bixiga. Serão plantadas 40 palmeiras na extensão da via nos 4 jardins diferentes e no canteiro central.

Bosque das Maritacas

Desde 2019 foram criados três Bosques de Conservação Urbana, sendo:

  • Bosque das Maritacas, localizado na Avenida do Estado, com 1.065 árvores (inclusive com palmeiras transplantadas do Vale do Anhangabaú);
  • Bem-te-vi, na Rua Antônio de Sá : 1.400 árvores plantadas com a participação de alunos das escolas estaduais;
  • Sabiás, na Avenida 23 de Maio: 350 árvores plantadas

Totalizando 2.815 árvores plantadas na área central.

Mais uma novidade é a construção da biovaleta: valetas de biorretenção vegetadas. A paisagem da Avenida 23 de Maio será recriada com as biovaletas, contando com mais flores, mais verde, além de mais permeável. De acordo com a prefeitura, também será a primeira calçada verde e alagada da cidade.



Digite seu email para receber nossas últimas notícias!