- Publicidade -
melhores cidades
A cidade de Amsterdam, capital da Holanda, está no Top 10. Foto: Pixabay

Viena, na Áustria, segue no topo dos rankings de melhores lugares para se viver. Em 2022, a lista elaborada pelo The Economist Intelligence Unit (EIU) aponta, além de Viena, as cidades de Copenhague, na Dinamarca, Zurique, na Suíça, e Calgary, no Canadá, como as cidades com os melhores índices.

- Publicidade -

O chamado ranking de “habitabilidade global” analisa os desafios que podem ser apresentados no estilo de vida de cidadãos em 173 cidades ao redor do mundo. Cada cidade recebe uma pontuação para mais de 30 fatores qualitativos e quantitativos baseados em cinco grandes categorias: estabilidade, cultura e meio ambiente, saúde, educação e infraestrutura.

A classificação deste ano incluiu 33 novas cidades, sendo muitas delas chinesas, e excluiu Kiev, na Ucrânia, devido à invasão da Rússia. Já a capital da Rússia, Moscou, caiu 15 posições no ranking e São Petersburgo caiu 13.

As cidades de Damasco, na Síria, Trípoli, na Líbia, e Lagos, na Nigéria, seguem listadas nas últimas posições. Agitação social, terrorismo e conflitos são apontadas como as razões das baixas pontuações de tais cidades. Também Varsóvia, na Polônia, e Budapeste, na Hungria, viram suas pontuações de estabilidade cair devido às constantes tensões diplomáticas.

Foto: iStock

Enquanto isso, as cidades da Europa Ocidental e do Canadá dominam o topo da lista. “A vida está quase de volta ao normal nessas cidades por conta das altas taxas de vacinação contra a Covid-19 e a flexibilização das restrições”, destaca o relatório.

- Publicidade -

Entre as 10 melhores posições, a cidade de Vancouver, no Canadá, atingiu pontuação máxima na categoria “cultura e meio ambiente”.

De modo geral, passado o pior período da pandemia, a pontuação média global de habitabilidade melhorou. As cidades estão se recuperando em quase todas as categorias, exceto em “estabilidade” – quesito que se deteriorou nos últimos anos.

O relatório também destaca o que chama de “crise do custo de vida” devido à guerra na Ucrânia. Os preços globais – sobretudo em alimentos, combustível e energia – já subiram nas principais cidades do mundo. A preocupação é como tais aumentos afetam a qualidade de vida.

- Publicidade -

“Ou os moradores vão ser forçados a pagar preços muito mais altos (tornando-se mais difícil desfrutar da cultura e do ambiente de suas cidades) ou os governos assumirão mais
o ônus (o que colocará em risco sua capacidade de fornecer serviços públicos de alta qualidade)”, aponta a pesquisa.

Confira a lista de melhores e piores cidades para se viver em 2022:

Melhores cidades para viver

  • Viena, Áustria
melhores cidades
Foto: Dan V | Unsplash
  • Copenhague, Dinamarca
melhores cidades
Foto: Febiyan | Unsplash
  • Zurique, Suíça e Calgary, Canadá
melhores cidades
Foto: Julian Hacker | Pixabay
melhores cidades
Foto: PxHere
  • Vancouver, Canadá
melhores cidades
Foto: Mike Benna | Unsplash
  • Genebra, Suíça
melhores cidades
Foto: Luis Francisco Pizarro Ruiz | Pixabay
  • Frankfurt, Alemanha
melhores cidades
Foto: Lāsma Artmane | Unsplash
  • Toronto, Canadá
melhores cidades
Foto: Ed Vázquez | Unsplash
  • Amsterdam, Holanda
melhores cidades
Foto: djedj | Pixabay
  • Osaka, Japão e Melbourne, Austrália
melhores cidades
Foto: David Mark | Pixabay
melhores cidades
Foto: Julian Hacker | Pixabay

Confira a pontuação de cada cidade:

melhores cidades para viver
Fonte: The Economist Intelligence Unit

10 piores cidades para viver

  • Teerã, Irã
  • Douala, Camarões
  • Harare, Zimbábue
  • Dhaka, Bangladesh
  • Port Moresby, Papua Nova Guiné
  • Karachi, Paquistão
  • Algiers, Argélia
  • Tripoli, Líbia
  • Lagos, Nigéria
  • Damasco, Síria

Confira a pontuação de cada cidade:

piores cidades

Fonte: The Economist Intelligence Unit

O relatório completo, em inglês, você confere aqui.

Anualmente é divulgado também o World Happiness Report, uma lista dos países mais felizes do mundo – confira.