Um condomínio de escritórios com espaços compartilhados foi desenvolvido para a cidade de Shenzhen, na China. Construído para ser um hub de design, arquitetura e urbanismo da cidade, o Vanke Design Community foge dos tradicionais ambientes áridos e claustrofóbicos dos centros de negócio, criando espaços abertos, iluminados e com diversos parques públicos e áreas verdes em sua cobertura.

O projeto de parte dos edifícios foi desenvolvido pelo escritório de arquitetura chinês FCHA. Já o plano diretor completo do novo condomínio foi feito pelo escritório Urbanus. O local oferece escritórios, espaços para exposições e conferências, uma sala de palestras e uma oficina.

Situadas em um terreno levemente inclinado, as estruturas têm como objetivo combinar o desejo de criar mais áreas verdes para a cidade enquanto também deixa os ambientes dentro das construções mais iluminados. “É feito um equilíbrio entre garantir a continuidade do espaço verde público no telhado e proporcionar um bom ambiente para escritórios subterrâneos”, diz o FCHA em seu site.

Foto: Divulgação/FCHA

A mudança nos níveis é mais aparente no centro do quarteirão, onde uma área escalonada de assentos e plantios funciona como teatro ao ar livre.

Foto: Divulgação/FCHA

O desnível da cobertura e o uso de corredores, criam poços de luz, iluminando os andares abaixo.

Foto: Divulgação/FCHA

As novas estruturas oferecem espaços de escritório contínuos em plano aberto e espaços de trabalho menores e mais privativos para grupos de cerca de 30 pessoas.

Foto: Divulgação/FCHA

Todos os escritórios envolvidos no hub chegaram a um consenso sobre os materiais, unificando os edifícios usando concreto, vidro e aço. Uma grande passarela metálica conecta um lado do condomínio ao outro.

Foto: Divulgação/FCHA

Um outro projeto de cobertura verde interessante é o do novo projeto para o Mercado Municipal de Taiwan, que planeja até mesmo produzir alimentos no local.

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.