Muitas cidades norte-americanas têm se destacado no cenário mundial como locais favoráveis ao uso das bicicletas como meio de transporte. Uma rádio de Seattle fez uma pesquisa local e identificou que apenas 19% da cidade não aprova as bikes no trânsito.

O intuito da pesquisa, conforme noticiado no site TreeHugger, era identificar se o município estadunidense possuía uma espécie de “guerra” entre carros e bicicletas. Para tanto, 400 eleitores receberam telefonemas indagando sobre o tipo de relação entre eles e as bikes.

O resultado do trabalho foi bastante positivo, com 78% dos entrevistados alegando ter uma opinião favorável ao uso diário das bicicletas. Além disso, 38% destas pessoas ainda se consideram muito adeptas às pedaladas. Menos de ¼ da população local é contra.

A pesquisa também mostrou que o acesso às bicicletas é bastante comum em Seattle, mesmo que boa parte dos participantes alegue não pedalar com a frequência desejada. Entre as justificativas estão: falta de tempo, o relevo, a distância e a segurança.

O clima também foi citado como um impedimento, já que a cidade é famosa pelas constantes chuvas, que caem durante a maior parte do ano. Mudar os elementos naturais é algo que está além da capacidade humana, no entanto, ainda é possível tornar Seattle um local mais amigo das bikes, investindo em estrutura cicloviária.

O exemplo da cidade norte-americana se repete por muitos outros municípios em todo o mundo. Existem pessoas favoráveis à bike, mas que ainda assim têm medo de usá-las como meio de transporte. O cenário seria melhorado caso as bicicletas fizessem realmente parte dos projetos e investimentos públicos, como aconteceu em Amsterdã e Copenhague. Com informações do TreeHugger.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.