As bicicletas do programa Bike Salvador, semelhante ao Bike Sampa, já estão em funcionamento desde 2013. O programa, no entanto, contemplava apenas uma parte da população soteropolitana e agora mais moradores terão a oportunidade de utilizar o serviço.

O projeto foi estendido para os bairros mais populares e batizado de Bike Comunidade. De acordo com Isaac Edington, coordenador do Movimento Salvador Vai de Bike, a  capital baiana tem potencial para receber 40 estações. Associações comunitárias serão responsáveis pela manutenção destes espaços, por isso, antes da implementação em cada local é sempre preciso avaliar se a comunidade é participativa.

Até agora foram inauguradas duas estações: São Tomé de Paripe (na rua Benjamin de Souza) e Tubarão (na rua Dr. Eduardo Dotto). Ao contrário do Bike Salvador, em que é preciso realizar um pagamento anual, o cadastro desse novo sistema é gratuito e é feito por residência.

Cada lar pode registrar até três moradores. A retirada da bike é feita com um documento de identificação e comprovante de residência. Para mais informações, acesse aqui.

A iniciativa faz parte de uma campanha da prefeitura para melhorar a mobilidade urbana na cidade. Em 2013 foi inaugurada a primeira ciclofaixa e estações de compartilhamento, confira aqui as vias hoje existentes. 

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.