Prestes a ter o seu lançamento oficial no mercado, a rede de bicicletários compartilhados automatizados Bike & Park reúne em evento marcado para o dia 7 de fevereiro, em São Paulo, líderes de algumas das principais empresas voltadas à mobilidade urbana atuantes no Brasil. Intitulado ‘Papo de Garagem’, seu objetivo é debater a linha do tempo e, principalmente, o futuro dos meios de locomoção de pessoas nas grandes cidades do país. Além da proeza de unir representantes de diferentes modais de locomoção sustentável de pessoas em uma mesa redonda, o encontro também servirá para a apresentação de alguns protótipos de produtos voltados à promoção da mobilidade urbana, que estarão disponíveis para uso da população já a partir deste ano.

Entre os confirmados estão Daniel Kohntopp, CEO e fundador da rede de bicicletários automatizados Bike & Park; Manuela Colombo, da plataforma de compartilhamento de patinetes elétricos e bikes sem estação fixa Yellow; Douglas Tokuno, do aplicativo de trânsito e navegação Waze; Danilo Lamy, do serviço de carona de bicicletas duplas e elétricas Bikxi; Gabriel Arcon e Iuri Donato, da plataforma de aluguel de bicicletas elétricas E-Moving; Arthur Figueiredo e Fernando Freitas, do serviço de aluguel de scooters Riba Share; Rafael Viveiros e Carolina Edelstein, da ferramenta de contratação de vagas de estacionamento Coopark e Ricardo Oppi, da oficina Ricardo Oppi Estudos Automotivos; além de Daniela Swiatek e Laura Gurgel, representantes do MobiLab – Laboratório de Inovação em Mobilidade da Prefeitura de São Paulo.

Formatado como uma rodada de networking, o ‘Papo de Garagem’ contará com a participação desses dirigentes que compartilharão com os convidados presentes informações sobre seus respectivos modelos de operação – com direito a demonstração de produtos e serviços – e falarão de suas perspectivas para a mobilidade urbana no país. Alguns deles, inclusive, falarão sobre planos de investimentos e expansão de atividades para os próximos anos.

Iniciativas em nove subáreas

Em nível de macroambiente, as empresas dividirão as iniciativas que vêm desenvolvendo com o mercado em nove subáreas: infraestrutura (expansão das ciclovias); investimento (captação de recursos para empresas de mobilidade early stage); educação (preocupação de ensinar seus usuários sobre mobilidade urbana); legislação (regulação do setor); recursos humanos (papel das empresas em geral com os meios de transporte de seus colaboradores); economia compartilhada (benefícios de alugar e não comprar meio de transporte); qualidade de vida (os impactos da mobilidade no bem estar das pessoas); poder público (mobilidade como força motriz da inovação nas cidades) e estacionamentos (políticas de cobranças e novos serviços para os novos modais).

A formatação do ‘Papo de Garagem’ também segue a premissa básica da mobilidade urbana, que é gerar inteligência para maior eficácia das atividades e relações nas cidades. “Nos apropriamos de uma garagem, local que abriga alguns dos principais meios de locomoção individuais das pessoas mas que por várias horas do dia acabam se tornando ambientes disfuncionais, para gerar conteúdo, informação e networking”, explica Daniel Kohntopp, CEO da Bike & Park, que divide a realização do evento junto com a DOC88, aceleradora de tecnologias disruptivas voltada à melhoria de gestão e produtividade das empresas. O evento, aliás, acontece na garagem do edifício sede da DOC88, na região da Vila Nova Conceição, na capital paulista.

Protótipos

Dois protótipos de produtos relacionados à mobilidade urbana e que estão em fases finais de testes com usuários de São Paulo serão apresentados durante o ‘Papo de Garagem’. O primeiro deles é o Bike & Park, aplicativo por meio do qual será possível acessar uma rede de bicicletários automatizados compartilhados espalhados pela capital paulista, para ciclistas que gostariam de utilizar suas próprias bicicletas na locomoção pelas cidades. Com o Bike & Park, eles podem contar com pontos demarcados e com total segurança para estacionar suas bikes. Seus benefícios vão de cobertura de seguro do equipamento durante o uso dos bicicletários, não precisar possuir cadeado para estacionar e não precisar ter dinheiro e nem cartão de crédito durante o uso, já que todo o processo de pagamento é realizado por meio de telefones celulares.

CEO e idealizador do Bike & Park, Kohntopp explica que a iniciativa é uma derivação do mercado de aluguéis de bicicletas compartilhadas. Sua proposta é estimular as pessoas que tem bicicletas em casa a utilizá-las em suas locomoções pelas cidades. Ele percebeu que muita gente que tem bikes acaba não utilizando-as por falta de estacionamentos e o sentimento de insegurança quando as deixam estacionadas. “A plataforma surgiu de minha própria necessidade enquanto ciclista. A principal dificuldade é encontrar locais seguros e que aceitassem o equipamento. Percebi que essa não era uma necessidade somente minha, daí, então, comecei a desenvolver um serviço que pudesse favorecer a experiência do ciclista”, relata Daniel. A tecnologia está sendo testada por 50 ciclistas espalhados pela cidade de São Paulo e deve ser disponibilizada para o público em geral a partir de março de 2019.

Outro negócio embrionário que está sendo testado para sair do papel e que terá protótipo para apreciação dos convidados do ‘Papo de Garagem’ é o Aruanda. Trata-se de pequeno carro urbano, criado na década de 1960 pelo arquiteto Ari Antônio da Rocha, mas que nunca foi produzido em série, apesar das negociações de seu criador, na época, com grandes montadoras. Atualmente, o design do veículo está sendo readaptado às necessidades contemporâneas de locomoção. O que estará exposto é o protótipo original do Aruanda da década de 1960.