Os congestionamentos estão entre os principais problemas das grandes cidades. Boa parte deste tráfego intenso é ocasionada pelos caminhões, carros e motos que fazem entregas durante todos os horários do dia. Para amenizar este problema, a solução é uma ideia antiga: a bicicleta.

Já existem muitas empresas que apostaram nesta opção e têm alcançado sucesso em todo o mundo. A iniciativa é ambientalmente correta e oferece eficiência e praticidade. Além de contribuir para uma redução significativa nas enormes filas de carros.

A empresa B-Line, sediada em Portland, EUA, é um dos exemplos de como as bicicletas podem ser opções viáveis e lucrativas. A corporação optou por trabalhar diretamente com companhias de entrega que utilizam triciclos elétricos para o transporte. A mudança resultou na substituição do uso de 20 mil caminhões e vans de entregas desde 2009.

Uma das ações mais inovadoras e eficientes foi aplicada em Bruxelas, na Holanda. A empresa de entregas TNT Express elaborou uma estratégia de carregar os pacotes durante a noite em um trailer móvel e deixá-lo estacionado fora da área de tráfego, mas em um bairro populoso. Durante o dia, os ciclistas passam no local e retiram as encomendas para encaminhá-las ao seu destino final. Assim não é necessário usar caminhões ou fazê-los trafegar diariamente pelas cidades.

No Brasil a iniciativa também se espalhou pelas grandes cidades. São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro e Belo Horizonte estão entre as capitais que já disponibilizam ciclistas especializados em entregas e substituem com eficiência os tradicionais serviços de motoboys. A Bike Courier é uma das empresas que atua neste segmento e possui oito unidades de atendimento espalhadas pela capital paulista. Com esta estrutura, a agência é capaz de atender uma carteira com mais de quatro mil clientes. A EcoBike Courier, instalada em Curitiba, é outro exemplo bem sucedido, que alia sustentabilidade e educação para um mundo melhor. Com informações do Time Ideas.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.