A construção do prédio de madeira mais alto da Suécia foi finalizada pelo escritório de arquitetura C.F. Møller. O edifício Kajstaden fica localizado no lago Mälaren, na cidade de Västerås, distante uma hora da capital Estocolmo.

A escolha da madeira tem uma razão: o foco no impacto ambiental da construção e na influência do edifício para o meio ambiente e nas mudanças climáticas.

Ao contrário de outros materiais, a madeira tem a vantagem crucial de gerar emissões limitadas de gases de efeito estufa durante sua produção – é parte de um ciclo fechado em que o carbono fica retido na própria estrutura.

Duas estruturas diferentes de madeira

Imagem: C.F. Møller Architects

A construção usou basicamente madeiras laminadas e prensadas. Com tecnologia de alta precisão, estes dois tipos de material garantem uma boa vedação e eficiência energética, sem a necessidade de outros elementos para as paredes.

Por ser um material mais leve, o número de entregas e transporte de madeira na etapa de construção foi menor, gerando menos poluentes e um ambiente mais silencioso e seguro para os trabalhadores e vizinhos.

O Kajstaden precisou de três homens trabalhando por três dias para erguer cada um de seus andares.

As junções e articulações mecânicas foram feitas com parafusos, o que significa que o edifício pode ser desmontado e os materiais reciclados no futuro. No total, a emissão de gases de efeito estufa foram reduzidas em 550 toneladas de CO2, em comparação com uma construção de concreto.

Madeira à vista

Um aspecto interessante da construção é a madeira aparente, nas varandas e paredes. O uso da madeira também contribui para a saúde e bem-estar, graças ao seu isolamento térmico e acústico, além de trazer uma sensação de aconchego para os ocupantes.

Sustentabilidade

Imagem: C.F. Møller Architects

Além da escolha da madeira para a construção, o prédio também tem outras características sustentáveis: telhados verdes, estação de carregamento para carros elétricos, estacionamento para bicicletas, incentivando o uso deste modal e uma sala refrigerada que serve de  mercearia, garantindo o acesso a mantimentos dispensando o uso de automóveis.

O sistema elétrico do prédio abastace um carregador para barcos elétricos no lago e o Kajstaden tem também uma área externa verde que se interliga com um parque vizinho.

Abaixo desta área verde não foram construídas garagens ou subsolos – o que garante espaço para raízes de grandes árvores.

Imagem: C.F. Møller Architects