Com a crescente necessidade de preservar recursos minerais e ter obras cada vez mais seguras e sustentáveis, é cada vez mais comum nos projetos de engenharia a substituição de materiais minerais por recicláveis.

Na construção civil, existem três tipos de manta que servem como isolamento acústico e térmico: manta de rocha (feita com rocha basáltica vulcânica e outros minerais), manta de vidro (utiliza sílica e sódio que vem do assoreamento dos rios) e manta de PET (100% feita com poliéster, material reciclável proveniente de garrafas PET).

A Incorporadora MDGP aderiu a manta de PET para melhorar o isolamento acústico e térmico do empreendimento de alto padrão Arbo Cabral, em Curitiba. “A manta de PET é uma alternativa inteligente para qualquer construção, pois pode ser reutilizada ou reciclada após a reforma ou vendida, sendo transformado em estopa e fios têxteis. A lã de vidro, por exemplo, só por ser reciclada em 65%, já a de PET pode ser 100%”, afirma. Marlus Doria, diretor da MDGP.

Benefícios da manta de PET

Para o Arbo Cabral, foram utilizados cinco mil metros quadrados de lã de PET, o que representa mais de 100 mil garrafas PET de dois litros que deixaram de ser descartadas.

A manta ou lã de PET também é fabricada em densidades e dimensões que podem ser aplicadas como isolamento em pisos, coberturas, telhados, galpões, entre outros.

“A construção civil atualmente vem se reinventando para seguir uma linha de consciência ecológica, então com a lã de PET é esta a ideia”, comenta Bruna Almeida, engenheira da HUMA Engenharia, parceira da MDGP.

Além disso, as mantas de PET são hipoalergênicas e não irritam a pele, não proliferam fungos e bactérias, ou seja, não mofa, não utilizam resinas ou qualquer componente volátil, são auto extinguíveis e 100% reciclável.

Outro benefício do material é que ele não oferece riscos à saúde do profissional que aplica o produto, dispensando o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI).