O casal Katja Rotermund e Paulo Giovani de Oliveira são moradores de São Paulo que, em meio à crise hídrica, resolveram instalar um sistema de aproveitamento de água da chuva. Mesmo com a baixa quantidade de chuva em 2014, eles conseguiram economizar 30% na conta de água.

Para eles, diminuir a dependência em relação ao uso de água potável em algumas atividades no dia a dia sempre foi uma das preocupações. Por conta disso, o casal instalou um sistema de captação da Aquastock, empresa especializada em soluções para gerenciamento de águas de chuva.

“Utilizamos água da chuva para vasos sanitários, máquina de lavar roupa e torneiras do jardim. Hoje a cisterna e a caixa de água têm capacidade para armazenar cerca de três mil litros, o que ajuda a amenizar a dependência de água da minha residência em relação à água potável oferecida pela rede pública”, destaca Katja.

O principal componente na residência é o Filtro WISY WFF100, que foi instalado entre a tubulação de água de chuva e a cisterna. O filtro elimina as sujeiras grosseiras automaticamente, evitando o acúmulo de matéria orgânica. Para garantir a qualidade da água e eficiência do sistema ao longo dos anos, a empresa recomenda que sejam adquiridos todas as demais peças do sistema: Freio, Filtro Flutuante e Multisifão.

Katja afirma que o sistema WISY utiliza um princípio de filtragem de tensão superficial que garante alta eficiência ao separar a água da chuva de impurezas como folhas, galhos, insetos entre outros, com mínima perda de água.

Segundo Marcos Barros, diretor da AquaStock, o sistema aproveita cerca de 85% da água da chuva e elimina automaticamente todas partículas superiores a 0,28mm. “A água filtrada pode ser utilizada para irrigar jardins, lavar pisos, usar na descarga do vaso sanitário, lavar roupas, carros, objetos, manutenção de piscinas, e pode ser ainda, utilizada em alguns processos industriais ou em sistemas de ar condicionado, e com isso evitar o uso de água potável para esses fins”, garante.


Foto: Divulgação

O sistema funciona de uma maneira simples. A água da chuva que cai no telhado, é coletada pelas calhas, segue pela tubulação chegando até o filtro que limpa a água, separando a água de chuva de impurezas como folhas, galhos, insetos e musgo, com mínima perda de água e exigência baixíssima de manutenção. Depois da filtragem, a água vai para o reservatório (cisterna), onde é armazenada. Na sequência, essa água é distribuída para os pontos de consumo ou enviada para uma caixa d’água superior que através da gravidade abastece o local.

O sistema completo precisa de 4 peças:

– O Filtro Vortex faz uma limpeza da água antes de reservá-la.

– Com a peça Freio, a água entra na cisterna pelo fundo, lentamente, sem causar “turbilhonamento” – movimento rápido e barulhento.

 – O Filtro Flutuante retira a água dentro da cisterna para uso, sempre próxima à superfície, onde ela tem melhor qualidade.

– A Multisifão tem a função de “ladrão” da cisterna, ou seja, quando a cisterna estiver cheia, extravasa, sem deixar que a água retorne ou entre bichos e insetos, e ainda, tem a função de limpar a superfície da água garantindo sua qualidade durante o armazenamento.

A empresa AquaStock disponibiliza seu catálogo de produtos aqui. Mais informações e contatos podem ser obtidos no site

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.