- Publicidade -

O centro de meditação budista Metta Vihara, instalado na fronteira entre a Holanda e a Bélgica, foi construído de maneira econômica e com impactos ambientais reduzidos. A obra foi feita a partir do financiamento e trabalho da comunidade local.

Esteticamente o centro lembra um estábulo, no entanto as grandes janelas instaladas por toda a fachada o diferenciam dos celeiros comuns em áreas rurais. O alojamento possui 26 leitos, divididos em 13 quartos. A estrutura ainda conta com uma biblioteca, sala de meditação e uma sala de jantar.

Um dos conceitos aplicados na criação do projeto é que ele deveria ser um local bonito, mas não tão confortável que fizesse os visitantes se sentirem em casa. Assim, os materiais foram usados com a estética mais simples possível.

- Publicidade -

O formato do telhado segue o padrão comum aos celeiros, assim como as fachadas, feitas em aço corrugado, um material barato, resistente e com a vida útil longa. Outros detalhes foram feitos em madeira de cedro, as janelas possuem molduras brancas e o aço foi usado em cores diferentes para contrastarem entre si.

Os arquitetos também utilizaram madeira reaproveitada, paredes de pedra sem reboco, piso de concreto bruto, entre outras coisas. Somente na sala de meditação é que foi utilizado o revestimento de bambu preto e em algumas paredes foi aplicado o MDF ecologicamente correto.

As portas da sala de meditação se abrem para fora, para permitir a meditação ao ar livre e também a ventilação natural. As placas de aço corrugado limitam a incidência solar, para tornar o ambiente interno mais confortável.

Com informações do Dezeen.

Redação CicloVivo

- Publicidade -