Se você acompanha o CicloVivo, já deve saber que reaproveitar garrafas plásticas como material de construção não é exatamente uma novidade. Mas, sempre é possível se surpreender. Uma residência com ares modernos reaproveitou 600 mil garrafinhas para criar um lar inabalável.

As garrafas foram recicladas, trituradas e transformadas em painéis, que fizeram a vez das paredes. Apesar de leves, elas são bastante fortes, prova disso foi que, em testes, elas resistiram a velocidades de vento duas vezes mais forte que um furacão de categoria 5.

Mas por que ser à prova de furacões? Bom, o fenômeno é bastante comum na Nova Escócia, no Canadá, onde está a sede da startup JD Composites que construiu o protótipo da casa. A ideia inicial é alugar a residência pela plataforma do Airbnb.

Além da força, as paredes de plástico são melhores no quesito isolamento. De modo que a startup defende que haverá uma redução no custo de aquecimento e resfriamento dos cômodos. A estrutura ainda possui um revestimento de alumínio reciclado.

Fotos: JD Composites

Outra vantagem foi a rapidez na montagem. Ao contrário de qualquer construção comum, as paredes foram “levantadas” em somente sete horas. No dia seguinte, a equipe finalizou o telhado e ao todo foram usados 170 painéis.

Inegavelmente, o método construtivo se mostra como alternativa a pelo menos dois problemas atuais: excesso de resíduos plásticos e necessidade de criar estruturas mais resistentes às intempéries, que deverão ser cada vez mais comuns.

Veja também: Arquitetura do futuro usa pneus velhos, barro e garrafas para construir casas.