Inicio Vida Sustentável Saiba reconhecer na embalagem quais ingredientes são de origem animal

Vida Sustentável

Saiba reconhecer na embalagem quais ingredientes são de origem animal

Muitas das matérias-primas podem ser substituídas por similares vegetais.

10 de março de 2016 • Atualizado às 19 : 23
Saiba reconhecer na embalagem quais ingredientes são de origem animal

A lista da PETA contém uma série de itens encontrados em artigos de higiene pessoal e cosméticos para ficar alerta. | Foto: iStock by Getty Images

3.08K
0

O Projeto Esperança Animal (PEA) é uma entidade ambiental ligada às questões dos direitos animais. Pensando no bem estar dos bichanos e ajudar os leigos interessados em produtos veganos (aqueles que não levam ingredientes de origem animal em sua composição), a organização então traduziu uma lista da PETA que contém uma série de itens, comumente encontrados em artigos de higiene pessoal e cosméticos, para ficar alerta.

Muitas das matérias-primas listadas podem ter origem vegetal ou serem substituídas por similares vegetais. Para ter certeza, o consumidor precisa entrar em contato com o Sac da fabricante. Confira a lista:

Ácido Benzóico ou Benjoim

Pode ter origem animal ou vegetal.

Alternativa: Fontes vegetais.

Ácido Caprílico (Caprylic Acid)

Ácido líquido e gorduroso do leite de vaca ou cabra. Encontrado em perfumes e sabonetes. Possui derivados, como o Triglicerídeo Caprílico.

Alternativa: Fontes vegetais, como óleo de palma e de coco.

Ácidos Graxos Naturais  (Fatty Acids)

Pode ser composto de sebo bovino.

Ácido Esteárico (Stearic Acid)

Pode derivar de gordura de vacas, de ovelhas, de cães e de gatos sacrificados. Na maioria das vezes se refere a uma substância gordurosa tirada do estômago de porcos. Possui diversos derivados, como os estearatos.

Alternativa: O ácido esteárico pode ser encontrado em várias gorduras vegetais, como coco.

Ácido Hialurônico (Hialuronic Acid)

Proteína encontrada em cordões umbilicais e em fluidos das articulações.

Alternativa: Ácido hialurônico sintético, óleos vegetais.

Álcool Cetílico (Cetyl Alcohol)

Cera encontrada no espermacete (cetina) do esperma de baleias e golfinhos.

Alternativa: Álcool cetílico vegetal , espermacete sintético.

Ácido Linoléico

Ácido graxo que pode ser origem animal ou vegetal.

Alternativa: Fontes vegetais.

Ácidos Nucléicos

Encontrado nos núcleos de todas as células vivas.

Alternativa: Fontes vegetais.

Alantoína (Allantoin)

Ácido úrico de vacas e outros mamíferos. Pode ser encontrado também em algumas plantas (como confrei).

Alternativa: Extrato de raízes de confrei ou sintéticos.

Albúmen, Albumina (Albumen, Albumin)

Proveniente de ovos, leite, músculos, sangue e vários tecidos e fluídos vegetais. Em cosméticos a albumina geralmente é derivada de claras de ovos e usada como agente anti-coagulante.

Almíscar, Almiscareiro (Óleo de Civet ou Musk Oil)

Secreção seca obtida dolorosamente dos órgãos genitais do cervo almiscareiro, castor, rato silvestre e outros. Gatos selvagens são capturados e mantido em gaiolas em condições horríveis e são chicoteados ao redor dos genitais para produzir o odor. Castores são pegos em armadilhas, cervos são caçados com tiros. Usado na fabricação de perfumes.

Alternativa: Plantas com odor almiscarado.

Ambergris

Dos intestinos de baleias. Usado como um fixador em perfumes ou como realçador de sabor em produtos alimentícios ou bebidas.

Alternativa: Fixadores sintéticos ou de origem vegetal.

Aminoácidos (Amino Acids)

Blocos construtores de proteína em todos os animais e plantas. Usado em cosméticos, xampus etc.

Alternativa: Sintéticos e vegetais.

Aminoácido da Seda

“Para a produção da seda o casulo é fervido com a larva dentro. O pobre animal se contorce quando é submetido a essa morte dolorosa.” – Cozinhando Sem Crueldade, pág. 215.

Biotina, Vitamina H, Vitamina B

Pode ter origem animal ou vegetal.

Alternativa: Fontes vegetais.

Carmim, Cochonilha, Ácido Carmínico (Carmine, Cochineal, Carminic Acid)

Pigmento vermelho obtido através da compressão da fêmea do inseto cochonilha. De acordo com estimativas, 70.000 insetos precisam ser mortos para produzir cerca de 450 gramas deste corante vermelho. Usado em cosméticos, pós, ruges, xampus. Pode causar reação alérgica.

Alternativa: Suco de beterraba (não possui qualquer toxidade).

Caroteno, Provitamina A, Beta Caroteno

Um pigmento encontrado em tecidos animais e vegetais.

Alternativa: Fontes vegetais.

Caseína, Sódio Caseinado (Casein, Caseinate, Sodium Caseinate)

Proteína do leite. Usado em vários cosméticos para cabelo, máscaras para pele etc..

Alternativa: Proteína de soja, leite vegetal.

Cera de Abelha, Geléia Real, Mel, Pólen, Própolis (Bee Wax, Royal Gelly, Honey, Pollen)

“Ao contrário do que muitos pensam, a produção de mel também é responsável pela crueldade com animais. Muitos criadores matam as abelhas no inverno para não ter que gastar para protegê-las do frio. Além disso, para inseminar artificialmente as abelhas rainhas, é “tirado” esperma do zangão com o método cruel de esmagar suas cabeças. A decapitação gera um impulso elétrico tão forte que o animal ejacula.” – Cozinhando Sem Crueldade, pág. 214.

Cerdas Naturais ou Crinas (Pêlos de Animais)

Usados em escovas e pincéis.

Alternativa: Sintéticos.

Cisteína (Cistein)

Aminoácido retirado de pelos.

Alternativa: Fontes vegetais.

Colágeno (Collagen)

Proteína fibrosa, de natureza mucopolissacarídica, que é constituinte essencial da substância intercelular do tecido conjuntivo. Geralmente proveniente de animais. Pode causar alergias.

Alternativa: Proteína da soja, óleo de amêndoas etc.

Elastina (Elastin)

Proteína elástica, encontrada nos ligamentos do pescoço e nas paredes arteriais das vacas. Similar ao colágeno. Não afeta a elasticidade da pele.

Alternativa: Sintética, proteína de fontes vegetais.

Esponja do Mar

Animal marítimo que está em processo de extinção. Tem propriedades medicinais importantes.

Alternativa: Esponja sintética.

Esqualeno (Squalene)

Óleo de fígado de tubarão. Usado em hidratantes, tinta de cabelo etc.

Alternativa: Vegetais emolientes como azeite de oliva, óleo de gérmen de trigo, óleo de farelo de arroz etc.

Esterol (Stearyl Alcohol Sterols)

Uma mistura de álcoois sólidos. Pode ser obtido do óleo de esperma de baleia. Usado em cremes, xampus etc. Possuí diversos derivados.

Alternativa: Fontes vegetais, ácido esteárico vegetal.

Esteróide, Esterol (Steroids Sterols)

De várias glândulas de animais ou de fontes vegetais. Esteróides inclui esteróis. Esteróis são álcoois de animais ou plantas (ex: colesterol). Em cremes, loções, condicionadores de cabelo, perfumes etc.

Alternativa: Fontes vegetais e sintéticas.

Estrogênio, Estradiol (Estrogen Estradiol)

Hormônio feminino obtido da urina de éguas grávidas. Usado em cremes, perfumes e loções. Possui efeito insignificante em cremes e restauradores da pele, fontes emolientes vegetais são consideradas melhores.

“Fontes Naturais” (Natural Sources)

Pode significar fontes animais ou vegetais. Especialmente em cosméticos, isso significa fontes animais, como elastina, gordura, proteína e óleo animais.

Alternativa: Fontes vegetais.

Gelatina, Gel (Gelatin Gel)

Proteína obtida de pele, tendões, ligamentos e/ou ossos fervidos com água. De vacas e porcos. Utilizada em xampus, máscaras faciais, e outros cosméticos.

Alternativa: Carragena, algas (algina, agar-agar, kelp), dextrina, goma de algodão, gel de sílica.

Glicerina, Glicerol (Glycerine, Glycerol)

Substância líquida, incolor e xaroposa, que é o princípio doce dos óleos e a base dos corpos gordos conhecidos. Geralmente é produzida a partir da gordura animal.

Alternativa: Glicerina vegetal e sintética.

Goma Laca (Shellac Resinous Glaze)

Excreção resinosa de determinados insetos. Utilizada em laquês para cabelo.

Alternativa: Cera de plantas.

Gorduras, sebo ou óleos animais

Usado em cosméticos e em produtos alimentícios.

Alternativa: Óleo de oliva, óleo de germe de trigo, óleo de coco, óleo de oliva, óleo de girassol etc.

Guanina

Obtida de peixes.

Alternativa: Leguminosas, partículas de alumínio ou de bronze

Lactose (Lactose)

Açúcar do leite dos mamíferos.

Alternativa: Açúcar do leite de plantas.

Lanolina (Álcool de Lanolina Acetilado)

A lanolina é uma emulsão de gordura de lã, resíduo obtido na lavagem da lã de carneiro.  “Para aumentar o lucro, cientistas têm criado espécies de ovelhas que têm lã em demasia. Isso faz com que muitas ovelhas morram de calor no verão, enquanto outras morrem de frio no inverno depois de terem sua lã extraída.” – Fonte: Cozinhando Sem Crueldade. Evite igualmente usar roupas de lã (outras denominações: cashmere, pashmina, mohair, merino).

Lecitina

Substância presente nos tecidos nervosos, mas frequentemente obtida para uso comercial em ovos.

Alternativa: Lecitina de soja e sintéticos

Mocotó

Obtido do cozimento das patas de bovinos.

Monoestereato de Glicerila

Pode ser de origem animal ou vegetal. Obtido a partir da reação química da glicerina – animal ou vegetal – com o ácido esteárico – animal ou vegetal.

Alternativa: Fontes vegetais.

Óleo de Castor

Usado como fixador em perfumes e incensos.

Alternativa: Sintéticos e fontes vegetais.

Panthenol, Dexpanthenol,  Panthenyl, Vitamina B- Provitamina B-5

Pode ter origem animal ou vegetal.

Alternativa: Fontes vegetais ou sintéticos.

Placenta (Placenta Polypeptides Protein Afterbirth)

Órgão ou tecido que envolve o feto ou embrião. Pode ser derivada do útero de animais sacrificados.

Alternativa: Algas.

Pó ou Proteínas da Seda (Silk)

Seda é a fibra brilhante feita pelo bicho-da-seda para formar seu casulo. Os bichos são fervidos em seus casulos para retirar a seda. Pó de seda é obtido da secreção do bicho-da-seda. É usado como corante em pós faciais, sabonetes etc. Pode causar severa reação alérgica na pele e reações sistemáticas (por inalação ou ingestão).

Progesterona (Progesterone)

Hormônio utilizado em cremes anti-rugas.

Alternativa: Sintético.

Proteínas Hidrolizadas

Podem ter origem animal.

Alternativa: Proteína de soja.

Queratina (Keratin)

Proteína insolúvel, principal constituinte da epiderme, unhas, pelos, tecidos córneos e esmalte dos dentes. Pode ser obtida nos chifres, cascos, penas e pelo de vários animais. Utilizada em condicionadores de cabelo, xampus, soluções para permanente.

Alternativa: Óleo de amêndoas, proteína de soja, óleo de amla (do fruto de uma árvore indiana), cabelo humano proveniente de salões (que iriam para o lixo). Alecrim e urtiga dão corpo e força aos cabelos.

Quitosana (Chitosan)

Fibra derivada de crustáceos, como siris e caranguejos. Usado em cosméticos.

Alternativa: Fambroesas, inhame, legumes, apricots secos e muitas outras fontes vegetais.

Tirosina (Tyrosine)

Aminoácido hidrolisado da caseína. Utilizado em cremes.

Tutano

Medula dos ossos de boi.

Uréia, Carbamida, Ácido Úrico (Urea, Carbamide)

Excretada da urina e outros fluídos corpóreos. Usada em desodorantes, pasta de dentes com amônia, enxaguantes bucais, tintura para cabelos, cremes para mãos, loções, xampus etc. Derivados: Ácido Úrico.

Alternativa: Dintéticos.

Vitamina A ou Retinol

Pode ser obtida de fígado de peixes, gemas de ovos, manteiga. Também pode ter origem vegetal, como no germe de trigo.

Vitamina D, Ergocalciferol, Vitamina D-2, Ergosterol, Provitamina D-2, Calciferol, Vitamina D-3

A Vitamina D pode ser obtida de óleo de fígado, leite ou gemas de ovos. A vitamina D-2 pode ter origem animal ou vegetal. A Vitamina D-3 tem sempre origem animal.

Alternativa: Fontes vegetais ou minerais, sintéticos.

A organização também já listou as empresas brasileiras que não testam seus produtos nos animais, confira aqui.

Redação CicloVivo

(3082)

logo
Fechar
Abrir
logo