Inicio Vida Sustentável 7 razões para trocar seu gramado ou quintal por uma fazenda urbana

Vida Sustentável

7 razões para trocar seu gramado ou quintal por uma fazenda urbana

Ter alimentos frescos ao alcance do seu quintal pode gerar benefícios que vão muito além da praticidade.

7 de março de 2017 • Atualizado às 14 : 00
7 razões para trocar seu gramado ou quintal por uma fazenda urbana

Dá trabalho manter um gramado sempre verde e bonito. | Foto: iStock by Getty Images

126.39K
0

Se você ainda está em dúvida sobre transformar espaços ociosos no quintal ou no jardim em área produtiva, essa lista pode ajudar a resolver o seu problema. Veja sete razões para se tornar um agricultor urbano ou, simplesmente, um hortelão.

  1. Gramados e quintais consomem muita água

Manter o gramado sempre verde ou o quintal bem limpinho é o tipo de manutenção que exige grande quantidade de água limpa e que acaba sendo gasta sem muita utilidade, considerando a baixa utilidade de ambas as situações. Em tempos de crise hídrica, o desperdício deve sempre ser evitado. Assim, usar água para regar um plantio é algo muito mais importante do que usá-la para manter o quintal ou a calçada limpos.

  1. Melhorar a saúde

Quando a pessoa planta o seu próprio alimento, a sua relação com a comida passa a ser totalmente diferente. O hábito de poder plantar e colher incentiva as pessoas a se alimentarem de forma mais saudável, valorizando as opções naturais, que são altamente nutritivas. Além disso, é possível manter um cultivo orgânico e ter a certeza de que a colheita é totalmente livre de agrotóxicos.

  1. Economia

Um pacote de sementes é muito barato e pode germinar centenas de plantas. Plantar em casa é uma boa opção para economizar na hora de se alimentar, afinal, ser autossustentável em termos alimentares significa não ter que se preocupar com o preço de boa parte da comida nas gôndolas dos supermercados.

horta_no_quintal_2

Foto: iStock by Getty Images (via istock.com)

  1. Poupar recursos

Água não é o único recurso usado na manutenção de um gramado. Para mantê-los sempre verdes e bonitos é necessário gastar energia, fertilizantes, combustível usado nas máquinas de cortas grama e, principalmente, tempo.

  1. Desenvolver a comunidade local

Com um bairro cheio de pessoas plantando, é possível trocar, comprar e vender alimentos. Essa prática acaba incentivando o desenvolvimento da economia e de novos negócios locais. Poder comprar comida fresca perto de casa ainda é uma opção muito mais prática do que ter que se deslocar até um mercado, o que economiza tempo, dinheiro e energia, ao mesmo tempo em que resgata o senso de comunidade e ajuda mútua entre os vizinhos.

horta_no_quintal

Foto: iStock by Getty Images (via istock.com)

  1. Melhora a eficiência da produção de alimentos e o uso do solo

A agricultura em larga escala tem muitos fatores negativos. A perda da produtividade do solo em casos de monocultura é uma delas. Assim, produzir no quintal permite a descentralização da produção, ajuda a preservar o solo, reduz o caminho percorrido pelo alimento entre o produtor e o consumidor final, incentiva a criação de lojas e produtores independentes, diminui a quantidade de embalagens descartadas e muito mais.

  1. Saber de onde vem o seu alimento

Produzir em casa é um dos poucos jeitos de ter certeza sobre a procedência e os cuidados aplicados em cada etapa, desde o plantio até o consumo do alimento.

Se depois de todas essas razões, você está motivado a cultivar o seu próprio alimento, mas não sabe por onde começar, um bom exemplo é o do australiano Angelo Eliade, que transformou uma área de 60 m2 em uma verdadeira fazenda (veja aqui). Outra história inspiradora é da família McLung, que usa a área de uma piscina desativada para produzir tudo o que consomem (veja aqui).

Redação CicloVivo

(126388)

logo
Fechar
Abrir
logo