Uma pesquisa da Universidade Estadual da Pensilvânia, nos Estados Unidos, revelou que homens podem estar evitando fazer compras carregando sacolas reutilizáveis por acharem que elas são itens femininos, passando uma possível mensagem de que eles seriam homossexuais.

Durante o estudo, os pesquisadores pediram a 960 homens e mulheres que lessem e avaliem tarefas específicas ecologicamente corretas – incluindo estender a roupa no varal, separar a reciclagem e carregar sacolas – como “masculino” ou “feminino”.

Eles descobriram que as pessoas classificaram as tarefas de consumo consciente como femininas, e também que as pessoas são mais propensas a questionar a orientação sexual de um homem quando ele realizava tais tarefas.

Os pesquisadores também descobriram que as pessoas eram mais propensas a questionar a orientação sexual de uma mulher se ela se envolvesse em comportamentos pró-ambientais “masculinos”, como calafetar janelas.

Entendendo possíveis barreiras

Janet K. Swim, professora de psicologia, disse que é importante entender essas consequências sociais porque elas podem impedir as pessoas de se engajarem em comportamentos que poderiam ajudar o meio ambiente. “As pessoas podem evitar certos comportamentos porque estão gerenciando a impressão de gênero que antecipam que os outros terão”, comentou a professora.

“Se ser visto como heterossexual é importante para uma pessoa, essa pessoa pode priorizar os comportamentos pró-ambientais que não estejam em conformidade com o gênero em antecipação de como os outros podem vê-los”, disse Swim.

A notícia boa é que em breve as pessoas poderão se sentir cada vez mais confortáveis ​​carregando sacolas, já que diversas cidades e países de todo mundo estão proibindo o uso de sacolas plásticas descartáveis.

Clique aqui para ter mais informações sobre o estudo.

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.