Trocar o elevador e as escadas rolantes pelas escadas tradicionais é um ótimo jeito de economizar energia e ainda melhorar a saúde. Além de fortalecer os músculos da perna e o coração, cientistas descobriram que essa simples prática também pode ajudar a rejuvenescer o cérebro.

O estudo, realizado na Universidade de Concordia, em Montreal, avaliou o impacto da atividade física decorrente da subida de escadas e também da educação nas funções cerebrais. Para a pesquisa, foram convidadas 331 pessoas saudáveis, com idade entre 19 e 79 anos.

O grande ponto observado no experimento foi a quantidade de massa cinza no cérebro, fator usado na medicina como um bom marcador biológico para determinar a idade cerebral. As duas atividades consideradas, o estudo e a subida de escadas, colaboraram para o rejuvenescimento dos participantes.

De acordo com o estudo, cada ano de educação representa uma redução na idade do cérebro de 0,95 ano. Já as subidas de escada acrescentadas aos hábitos diários, têm poder para rejuvenescer o cérebro em 0,58 ano.

Para os cientistas, a descoberta serve como um incentivo. Subir escadas é uma atividade simples e acessível a qualquer pessoa com boas condições de mobilidade. O melhor de tudo é que o hábito não requer muitas mudanças na rotina e nem necessita de muito tempo de dedicação.

Redação CicloVivo