Um estudo feito na Universidade de Newcastle, na Inglaterra, concluiu que os alimentos orgânicos são mais nutritivos do que os não-orgânicos. As pesquisas se basearam em análises de documentos científicos, 196 deles sobre leite e outros 67 artigos sobre a carne.

Que os orgânicos são melhores para o meio ambiente e para a saúde das pessoas todo mundo já sabe, mas os cientistas decidiram ir além, avaliando os componentes nutricionais dos alimentos. Neste sentido, os orgânicos novamente apresentaram desempenho superior aos alimentos produzidos com agrotóxicos.

De acordo com o estudo, a carne orgânica e o leite orgânico oferecem mais ácidos graxos, elementos essenciais para manter o organismo saudável e evitar problemas cardiovasculares, melhorar o desenvolvimento neurológico e também as funções imunológicas.

A pesquisa mostrou que, a cada 500 ml de leite tradicional, é possível obter 11% do ômega 3 recomendado diariamente para uma dieta saudável. No entanto, a mesma quantidade de leite orgânico oferece 16% do ômega 3 ideal. Além de aumentar o nutriente, a mudança é benéfica pois não interfere na quantidade de gorduras ingeridas.

Em relação à carne, os pesquisadores identificaram que os orgânicos têm níveis mais baixos de ácido mirístico e palmítico. Também foi observado que o leite e a carne produzidos sem agrotóxicos possuem níveis mais elevados de vitamina E, carotenoide e até 40% a mais de CLA.

Para o professor Carlo Leifert, líder do estudo na Universidade de Newcastle, este é mais um motivo para as pessoas repensarem suas escolhas. “As pessoas escolhem o leite e a carne orgânica por três razões principais: melhorar o bem-estar animal, os impactos positivos da agricultura biológica no meio ambiente e os benefícios para a saúde. Mas, pouco se sabe sobre os impactos sobre a qualidade nutricional dos alimentos, daí a necessidade deste estudo.”

Para o professor, a alimentação dos animais e a forma como eles são tratados influencia diretamente no resultado nutricional transmitido aos humanos que os têm como alimento.

Redação CicloVivo