árvores ajudam a parar de fumar
Foto: Shannon Holman | Flickr

Cientistas continuam a descobrir bons motivos para preservarmos a natureza e nos mantermos em contato com o verde. Uma nova pesquisa aponta para mais um fato interessante: quem vive perto de árvores tem mais chances de conseguir parar de fumar.

Alguns estudos já haviam identificado que viver em contato com a natureza te ajuda a viver mais, que estar em áreas verdes é importante para o nosso bem estar e que o contato com a terra melhora – muito! – o nosso humor.

E agora, esta nova pesquisa conduzida por cientistas ingleses, investiga porque as pessoas que vivem mais perto de árvores tem menos tendência a começar a fumar e mais facilidade em largar o vício. Os pesquisadores descobriram que o número de pessoas que consegue deixar o cigarro é mais alto entre aqueles que vivem próximos do verde.  

Segundo o psicólogo e professor da University of Exeter Medical School,  Mathew P. White, os resultados são consistentes com descobertas recentes de que a vontade de fumar diminui em contato com a natureza. Mathew é um dos autores do estudo e tem especialidade em psicologia ambiental.

“Algumas tentações estão relacionadas com a necessidade de melhorar nosso humor de forma rápida e Podemos citar como exemplos o cigarro, um pedaço de chocolate e uma bebida”, explica o psicólogo.

Foto: Jonathan Kemper | Unsplash

“Muitos estudos mostram que o contato com a natureza pode ter o mesmo efeito que estas outras tentações na melhoria do nosso humor. Dessa maneira, uma boa caminhada entre as árvores pode melhorar seu bem estar e ajudar a deixar de lado o cigarro, por exemplo. Esta é uma teoria possível e estamos trabalhando para encontrar dados que sustentem esta ideia”, finaliza Mathew.

O poder do verde

Para este estudo, que foi publicado no periódico Social Science & Medicine, os cientistas usaram dados da Pesquisa Anual de Saúde na Inglaterra. A pesquisa traz informações sobre saúde, estilo de vida e incidência de doenças. Os pesquisadores usaram dados de 2012, quando áreas verdes foram incluídas nas estatísticas.

Entre os 8059 adultos que participaram da pesquisa, apenas 19% se declaram fumantes regulares. Menos da metade (45%) disseram que eram fumantes eventuais e, entre os que têm o hábito de fumar, 58% disseram que estavam parando de fumar.

Entre as descobertas dos pesquisadores, estão o menor índice de fumantes em áreas com mais verde e uma maior taxa de sucesso em largar o vício entre fumantes que vivem em locais com mais árvores.  

Bituca ou gimba de cigarro jogado em gramado
Foto: iStock

Especificamente, em locais onde o verde está mais presente, o índice de fumantes é 20% menor. Entre os que conseguiram parar de fumar, o índice é cerca de 12% maior em locais arborizados.

De acordo com os pesquisadores estes índices se repetem em diversas regiões, independente de fatores socioeconômicos.

“Este não é um efeito socioeconômico”, explica Mathew. “A princípio pensamos que os resultados se aplicariam apenas ao mais ricos que vivem em áreas verdes, mas o efeito da presença das árvores está presente em todas as comunidades estudadas. E isso pode ser um fator para ajudar a equalizar as condições de saúde”.

Para o psicólogo estes resultados podem ajudar em iniciativas de combate ao fumo por meio de um acesso maior a áreas verdes como forma de tornar as pessoas mais saudáveis.

“Uma melhor manutenção e políticas de acesso a parques e outras áreas verdes pode melhorar os índices de saúde e bem estar das pessoas, conduzindo à diminuição pela procura de outras maneiras de melhoria do humor. O contato com a natureza pode substituir outras substâncias que causam mal à saúde na busca por satisfação e ajudar a resolver problemas sérios para nossa sociedade, especialmente em um momento em que o cuidado com a saúde é um grande desafio.”  

Mathew P. White, psicólogo ambiental