O estado de São Paulo passa por uma de suas piores estiagem. Em consequência do clima e também da falta de conscientização os reservatórios estão operando em baixa e a população já sente os efeitos da falta de água. Este recurso é essencial para garantir alimento e qualidade de vida. Portanto, o CicloVivo separou uma lista com nove dicas práticas de como economizar água em casa. Veja as sugestões abaixo:

1. Tome banhos curtos e feche o registro ao passar sabonete e xampu; Banho com aquecedor por 15 minutos, por exemplo, consome 135 litros de água em uma casa. Com o registro fechado no ensaboamento e uma duração de 5 minutos, o consumo cai para 45 litros.


Foto: Alex France/SXC

2. Não lave a calçada com mangueira. Use a vassoura para limpar o local. Se a lavagem dura 15 minutos e a mangueira fica aberta, o gasto pode chegar a 280 litros.


Foto: Carolina L. Liano/Flickr

3. Não lave o carro com a mangueira; use um balde. Se a lavagem dura 30 minutos e a mangueira fica aberta, o gasto pode chegar a 560 litros. Com o balde, cai para 40 litros.


Foto: Bark/Flickr

4. Antes de lavar a louça, retire e excesso de comida com a esponja, sem usar água; deixe a torneira fechada ao ensaboar. O consumo pode cair de 240 litros para 20 litros.


Foto: Rachel Ball/SXC

5. Acumule as roupas para utilizar a máquina de lavar na capacidade máxima. Faça o mesmo com a louça.


Foto: Hari Parmer/Flickr

6. Deixe a torneira fechada enquanto escova os dentes ou faz a barba.


Foto: Artmast/SXC

7. Muita atenção com vazamentos dentro do imóvel; corrija-os o mais rápido possível.


Foto: Sheerman-Chase/Flickr

8. Molhe as plantas à noite e prefira um regador à mangueira, que pode gastar até 190 litros em 10 minutos.


Foto: Richerd Styles/SXC

9. A água das piscinas montadas para as crianças também pode ser mais bem aproveitada: depois do mergulho, use a água para lavar o quintal, por exemplo.


Foto: Kevin Krejci/Flickr

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.