A indústria da moda é responsável por grandes impactos ambientais. Felizmente, aos poucos, consumidores e marcas tem mais consciência da sua responsabilidade e, já existem pessoas especializadas em moda sustentável.

O objetivo é fazer com que as pessoas saibam aproveitar melhor o que já têm e montar um armário com peças realmente necessárias e fáceis de serem utilizadas.

Veja abaixo algumas sugestões de Danielle Ferraz, consultora de imagem e expert em moda ecologicamente correta:

– Antes de qualquer coisa, analise suas medidas para ajudar na hora da escolha de roupas para que elas, de fato, sejam usadas.

– Invista nas peças básicas: camisetas, saias retas, calças de corte clássico e camisas de cores neutras.

– Cada peça exige um cuidado. Preste atenção nas indicações de lavagem e secagem da etiqueta.

– Observe as roupas que são pouco utilizadas e veja se isso não acontece por falta de uma peça complementar. Por exemplo, roupas transparentes às vezes necessitam de um modelo de peça “segunda pele” por baixo, já as blusas de alcinha e tomara-que-caia precisam de sutiã sem alça.

– Procure peças em brechós. Além de serem mais baratas, essas lojas fazem com que as peças circulem por mais tempo, reduzindo o impacto ambiental causado na confecção de novas roupas.

– Na hora de comprar bijuterias, opte pelas biojoias, que são acessórios feitos com matéria-prima natural.

– Não compre tudo que é tendência. Além de não ser ecológico, as chances da roupa ser deixada de lado é muito grande, uma vez que peças desse tipo são bem passageiras.

Com informações do Terra.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.