As frutas exóticas são frutas mais conhecidas nas regiões onde são produzidas ou onde ocorrem naturalmente como fruta silvestre.

De acordo com o especialista em Agricultura Orgânica Thiago Tadeu Campos, a produção não é de larga escala e assim, quando chegam aos mercados e feiras, seus preços são bem mais altos que os preços das outras frutas mais conhecidas.

Geralmente as frutas exóticas possuem um sabor, um formato ou outra característica não comum. Podem ser frutas raras, frutas estranhas e algumas são até frutas divertidas. Lichia, kiwi , carambola e pitaya são exemplos de frutas exóticas, porém não brasileiras, que são frutas com características não comuns.

Se você tem interesse em diversificar seus alimentos, comece a pensar mais nas frutas originárias do Brasil que, você vai notar, são muitas!

Benefícios para a saúde

Nos mercados e feiras sempre encontramos os mesmos tipos de frutas. Banana, morango , maçã, laranja, manga e poucas outras cultivadas pela agricultura de larga e pequena escala. Até mesmo nos produtos que consumimos, os ingredientes são bem comuns. Enquanto que a diversidade de frutos na natureza é gigantesca!

É claro que temos que ter cuidado ao consumir frutos ou partes de plantas que não conhecemos, para não nos surpreendermos com uma intoxicação alimentar. Mas é interessante saber que existem muitos outros frutos que poderíamos incluir em nossas dietas e que trariam diversos benefícios que nosso corpo precisa.

Foi para te ajudar nisso que esse artigo foi escrito. Listei aqui 20 frutas exóticas brasileiras para você ficar de olho.

Principais frutas exóticas brasileiras

Se surpreenda com essa lista que também cita alguns benefícios das frutas exóticas brasileiras:

Ciriguela: nome científico Spondias purpurea, rica em vitaminas A, B e C e em minerais como cálcio, fósforo e ferro. A ciriguela é comum na Caatinga e no Cerrado.

Foto: Quasarphoto/iStock

Abiu: nome científico Pouteria caimito, rica em vitamina A, cálcio e fósforo, essa fruta que lembra um limão (apenas por fora, pois sua polpa é bem adocicada) é da Amazônia.

Foto: iStock

Jenipapo: nome científico Genipa americana, rica em vitamina C e B e ferro e cálcio, essa fruta é da Mata Atlântica e Amazônia.

Foto: iStock

Banana de macaco: nome científico Porcelia macrocarpa, essa fruta de polpa adocicada pode ser encontrada no Sudeste, em São Paulo.

Cagaita: nome científico Eugenia dysenterica, rica em vitamina C e antioxidantes, a cagaita é encontrada no Cerrado. Só tome cuidado para não exagerar nessa polpa, pois você pode ter uma diarreia!

Foto: Adriana Paula Xavier/iStock

Ingá-cipó: nome científico Inga edulis, rica em sais minerais, essa vagem que pode ter até 1m de comprimento é da Amazônia.

Foto: Quasarphoto/iStock

Cambuci: nome científico Campomanesia phaea, é rico em vitamina C e antioxidantes, o cambuci é azedo e encontrado na Mata Atlântica.

Foto: Wikimedia

Mandacaru: nome científico Cereus jamacaru, rico em água, sódio, magnésio e fósforo, é uma fruta adocicada que contém espinhos e pode ser encontrada no Nordeste.

Foto: Raul Romario/iStock

Físalis: nome científico Physalis sp., rica em vitamina A, C e B, em antioxidantes e fósforo, também chamada de camapu, a fruta é adocicada e cítrica, encontrada na Amazônia.

Foto: Wikimedia

Cupuaçu: nome científico Theobroma grandiflorum, rico em vitamina C e fósforo, o cupuaçu é um parente do cacau, de polpa doce e azeda e aromática, e pode ser encontrado na Amazônia.

Foto: Beto_Junior/iStock

Bacuri: nome científico Platonia insignis, rica em fósforo e cálcio, essa fruta de polpa bem carnuda é muito popular na região Norte e também pode ser encontrado em alguns Estados do Nordeste.

Foto: P. S. Sena/Wikimedia

Buriti: nome científico Mauritia flexuosa, rico em vitamina A e C, o buriti é encontrado na Amazônia.

Foto: Paralaxis/iStock

Jabuticaba branca: nome científico Myrciaria aureana, rica em vitamina B e C, ferro, fósforo e cálcio, essa jabuticaba continua verde mesmo depois de madura, e é encontrada no Sudeste.

Foto: Sitio da mata

Cajá: nome científico Spondias mombin, rico em vitamina A, B e C, ferro, cálcio e antioxidantes, de polpa ácida, o cajá é encontrado no Nordeste.

Foto: Rodrigo Bark/iStock

Pitomba: nome científico Talisia esculenta, rica em vitamina C,de polpa doce e azeda, é encontrada na Amazônia e Mata Atlântica.

Foto: iStock

Maná: nome científico Solanum sessiliflorum, rica em cálcio, fósforo e vitamina B3. Tropical, ela pode ser encontrada na Amazônia.

Foto: Juan Jose Napuri/iStock

Gabiroba: nome científico Campomanesia lineatifolia, rica em fibras, ferro e cálcio, é encontrada na Amazônia, Cerrado, no sertão baiano. Cada uma com suas peculariedades

Foto: Rhalah/Wikimedia

Camu-camu: nome científico Myrciaria dubia, uma das frutas com maior concentração de vitamina C, e pode ser encontrada na Amazônia.

Grumixama: nome científico Eugenia brasiliensis, rica em vitaminas B, C e antioxidantes, é encontrada na Mata Atlântica.

Foto: B.navez/Wikimedia

Uvaia: nome científico Eugenia pyriformis, rica em vitamina C, cálcio, ferro, fósforo, é nativa da região Sul e Sudeste.

Foto: iStock