O número de mortos após o rompimento de uma barragem da mineradora Vale em Brumadinho subiu para 60, segundo informações divulgadas há pouco pela Defesa Civil de Minas Gerais. De acordo com o porta-voz do órgão, tenente-coronel Flávio Godinho, 382 pessoas foram localizadas, e 191 foram resgatadas e 292 permanecem desaparecidas. Dos 60 mortos, 19 foram identificados até o momento. Há ainda 135 pessoas desabrigadas.

Durante coletiva de imprensa, o porta-voz do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, tenente Pedro Aihara, lembrou que o tipo de atuação realizada pelas equipes de busca e resgate é bastante delicada, já que envolve milhões de metros cúbicos de rejeito. A previsão, segundo ele, é que os homens permaneçam no local por semanas. As chances de encontrar sobreviventes, entretanto, são consideradas baixas.

“As chances são muito pequenas considerando o tipo de tragédia, que envolve lama”, disse, ao explicar que os rejeitos dificilmente permitem a formação de bolsões de ar. “É uma operação de guerra, que demanda esforços e compreensão de todas as partes”, concluiu.

As informações acima são da Agência Brasil

Resumo dos acontecimentos

Na última sexta-feira (25), rompeu uma barragem de rejeitos na Mina Córrego do Feijão em Brumadinho, Minas Gerais. A quantidade de rejeito acumulada causou o transbordamento de outra barragem -, a barragem VI. A lama devastou a região, afetando pessoas, animais e recursos hídricos.

A busca por sobreviventes e corpos teve início com 140 bombeiros de Minas Gerais. No primeiro dia de buscas, a corporação estimava a possibilidade de 354 pessoas desaparecidas.

No domingo (27), 24 mil pessoas começaram a serem retiradas pelos bombeiros das áreas sob risco. Isso porque sirenes foram acionadas por volta das 5h30 da manhã alertando que havia o risco de rompimento da barragem VI. Já na tarde, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, afirmou que houve escoamento da água da barragem e que o nível de água tinha sido controlado. O prefeito de Brumadinho, Avimar de Melo Barcelos, também garantiu que o problema está sendo controlado e monitorado e que tem “plena certeza” de que ela não vai estourar. Durante o evacuamento, as buscas foram suspensas.

A lista mais recente da mineradora Vale contém os nomes de 297 pessoas desaparecidas. Mas, como apenas 16 dos 58 mortos confirmados foram identificados, é possível que parte dessas pessoas já foram encontradas. Até o momento, 192 vítimas foram resgatadas. A partir desta segunda-feira (28), militares israelenses começam a ajudar nas buscas.

A Vale, responsável pela barragem, foi multada em R$ 250 milhões pelo Ibama. Ela tem R$ 11 bilhões bloqueados pela Justiça, até o momento, e suas ações caíram 16% na Bolsa de Valores.