- Publicidade -

A proposta de alteração no Código Florestal feita pelo deputado Aldo Rebelo gerou indignação e foi tema de diversas reivindicações. Diante disso e da possibilidade de ter o seu projeto indeferido pelo presidente, o deputado decidiu acatar, mesmo que contrariado, a algumas sugestões que lhe foram dadas e anunciou mudanças na sua proposta.

Segundo Rebelo, as mudanças visam consolidar as áreas ocupadas por atividades rurais e regulamentação de imóveis. Ele disse que pessoas que têm propriedades que antes poderiam ter maiores áreas desmatadas, não serão obrigadas a reflorestá-las, porque estavam de acordo com a legislação vigente na época.

Nas áreas onde deve haver recomposição das terras desmatadas o prazo para a realização dessa ação continua sendo de 20 anos, como proposto por ele inicialmente. As áreas de reserva legal devem ter limite de preservação de 80% nas florestas da Amazônia Legal, 35% no cerrado e 20% nas outras regiões campestres.

- Publicidade -

Mesmo com as alterações, a proposta do deputado ainda causa muita divergência de opiniões. Durante a assembleia e a votação, ruralistas e ambientalistas discutiram e, alguns dos ambientalistas tentaram adiar a votação, mas não conseguiram.

Representantes ambientais criticaram o fato do deputado fazer alterações em um texto já apresentado, dizendo que isso só confunde ainda mais.

Com informações do Estadão.com.br

- Publicidade -