Purificação de água reduziu atendimentos hospitalares no Vale do Jequitinhonha

No Brasil, mais de 35 milhões de brasileiros sofrem com o problema da falta de água tratada.



O ChildFund Brasil – Fundo para Crianças, organização de desenvolvimento social, realizou um estudo para medir o impacto da purificação de água no desenvolvimento das pessoas assistidas pelo projeto Água Pura para Crianças, que ajuda a fornecer água potável utilizando sachês purificadores. De acordo com o levantamento, o projeto contribuiu positivamente nas áreas atendidas, com base na redução da incidência de doenças transmitidas por água contaminada.

“Segundo o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), 2017, há mais de 35 milhões de pessoas sem o acesso ao abastecimento de água tratada. As doenças causadas pela ingestão de água contaminada ainda são uma das principais causas de mortes entre crianças e jovens de países em desenvolvimento. Além disso, a falta de água potável também contribui para vários desafios em uma comunidade como a educação infantil e desenvolvimento da família. Por isso, a importância de analisarmos os impactos causados por iniciativas como o Água Pura para Crianças”, afirma Gerson Pacheco, diretor nacional do ChildFund Brasil.

O projeto Água Pura para Crianças atende mais de 4 mil famílias (aproximadamente 20 mil pessoas), no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, desde 2014. Dos atendidos, quase 6 mil são crianças e adolescentes, de 0 a 14 anos, nos municípios de Araçuaí, Berilo, Chapada do Norte, Comercinho Coronel Murta, Francisco Badaró, Jenipapo de Minas, Medina e Virgem da Lapa.

Foto: Pablo Silva – Zelo Imagens

Sachê purificador

As famílias assistidas recebem sachês purificadores, tecnologia social de purificação de água – sachê composto de 4g, que são colocados num balde de até 10 litros de água, e, por meio de processo próprio, seguido da decantação, retiram resíduos de impurezas para que a mesma possa ser consumida. O objetivo geral do Água Pura para Crianças é melhorar a qualidade de vida de cerca de 20.000 pessoas em comunidades rurais, por meio da redução da incidência de doenças transmitidas pela água, através do aumento do consumo de água potável.

O estudo avaliou os atendimentos hospitalares relacionados aos sintomas provocados pelo uso de água contaminada (classificados no Código Internacional de Doenças – CID 10 – A0 ao A009, B15 e B17.2). Praticamente todos os munícipios apresentaram melhoras significativas, analisando o período de 2014 a 2017. Para se ter ideia da evolução, a cada mil habitantes, o município de Virgem da Lapa reduziu de 78 para 1, o número de casos de atendimento hospitalares motivados por doenças associadas a qualidade da água. Coronel Murta também se destacou na análise, diminuindo os casos de 11 para 1 caso. Outra região onde o projeto Água Pura para Crianças fez diferença foi Berilo, que no período praticamente zerou os casos de pessoas atendidas em hospitais locais – passando de 56 para 0 a cada 1000 pessoas que davam entrada no hospital com o CID supracitado.

Foto: Pablo Silva – Zelo Imagens



Digite seu email para receber nossas últimas notícias!