A ISWA – International Solid Waste Association (Associação Internacional de Resíduos Sólidos), que no Brasil é representada pela Abrelpe, apresenta sua Calculadora de Poluição por Plásticos. A ferramenta é capaz de listar as fontes de vazamento de resíduos plásticos e as variações do material que vão para o ambiente marinho.

Desenvolvida com base em metodologias científicas pela Universidade de Leeds, da Inglaterra, a ferramenta inédita foi idealizada pela força-tarefa da ISWA/ABRELPE para Combate ao Lixo no Mar. “Além de identificar as fontes e quantificar os tipos de plásticos que chegam aos oceanos, a calculadora poderá ajudar governos, autoridades regionais e municípios com sugestões de soluções locais e as intervenções políticas necessárias para eliminar as poluições a partir dos resíduos sólidos, principalmente dos resíduos plásticos”, avalia Carlos Silva Filho, diretor presidente da ABRELPE e vice presidente da ISWA.

Os resultados dos primeiros testes da calculadora são da ilha de Bali e apontam que moradores, turistas e organizações geram 1,6 milhão de toneladas de resíduos por ano. Do volume total, os resíduos de plástico representam 303 mil toneladas, sendo que 33 mil toneladas/ano acabam nos cursos d’água de Bali.

O diagnótico também mostra que pouco mais de 48% dos resíduos gerados em Bali, um ponto turístico popular, é gerenciado de forma responsável, seja por meio de reciclagem ou aterro, enquanto o restante é queimado ou polui a terra, cursos d’água e oceano.

Estudo no Brasil

Um estudo recente da Abrelpe, resultado do projeto de prevenção e combate à poluição marinha no Brasil, identificou que as áreas de ocupação irregular, os sistemas de drenagem e a orla das praias são as principais fontes de vazamento de lixo para o mar. E que os materiais plásticos estão em maior concentração nesses ecossistemass: 52,5% de todos os resíduos coletados, e de forma variada, como plástico filme, pequenos tubos plásticos, hastes plásticas e isopor, que contém plástico em sua composição.

A Calculadora de Poluição por Plásticos, que em breve estará disponível no Brasil, pode ser aplicada a qualquer município, região ou país para identificar os mecanismos de vazamento de plástico, quantificar fontes, caminhos e pontos de poluição e possíveis soluções.