Pesquisadores de universidades norte-americanas mostraram, em um estudo, como a elevação temperaturas pode afetar o comportamento humano. De acordo com os pesquisadores, até mesmo os pequenos picos de temperatura já aumentaram o risco de violência ao longo da história humana.

“‘Cabeças Frescas’ provavelmente não vão prevalecer em um mundo mais quente”, afirma o título de um texto publicado na Universidade de Princeton. Cientistas desta instituição em parceria com a Universidade da Califórnia, em Berkeley, analisaram 60 estudos de diversas áreas – incluindo arqueologia, criminologia, economia e psicologia – que tratam a relação entre clima e violência em diversas partes do mundo desde 10.000 a. C. até os dias atuais.

Logicamente, os pesquisadores não afirmam que o clima é o único ou principal causador da violência. Entretanto, descobriram uma mudança de desvio padrão: em períodos intensos de calor ou chuvas, aumenta o risco de motim, guerra civil ou conflito étnico em uma média de 14%.

"Acreditamos que, através da recolha de todas as pesquisas realizadas até agora, estamos claramente estabelecendo uma relação causal entre o clima e os conflitos humanos", afirma Solomon Hsiang, principal autor da pesquisa. "Com estudos individuais, as pessoas têm sido céticas. Mas, considerando todo o trabalho, podemos agora mostrar que esse padrão é mais a regra do que a exceção”, completa.

A pesquisa cita um estudo de 1994, em que foi apontado que entre dois grupos de policiais submetidos ao mesmo teste de simulação, os que estavam em um quarto desconfortavelmente quente eram mais propensos a tirarem suas armas.

"Há uma grande quantidade de evidências de que as condições ambientais realmente mudam a percepção da própria condição de uma pessoa, ou elas também podem alterar a probabilidade de pessoas que utilizam a violência ou ação agressiva para alcançar algum objetivo", disse Hsiang.

“Nosso estudo não está dizendo que o clima é a única causa do conflito, e não há nenhum conflito que achamos que deve ser totalmente atribuído a algum evento climático específico", disse ele. "Cada conflito tem raízes nas relações interpessoais e intergrupais. O que estamos tentando mostrar é que o clima é um dos fatores críticos", conclui Hsiang.

O documento "Quantificando a influência do clima sobre o conflito humano" foi publicado na revista Science, na última quinta-feira (1).  

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.