reflorestamento mercado livre
Programa Regenera América, do Mercado Livre, vai envolver produtores locais. Foto: Robert Clark
- Publicidade -

O Mercado Livre lançou no dia 9 de março o Programa Regenera América com o objetivo de contribuir com a proteção de biomas naturais icônicos, a prestação de serviços ambientais essenciais à vida e aos negócios e o combate às mudanças do clima.

A iniciativa vai apoiar projetos de regeneração e conservação nos principais biomas da América Latina, da Amazônia brasileira às Selvas Úmidas do México, região que abriga um quarto da biodiversidade do planeta.

- Publicidade -

Este ano serão investidos cerca de R$ 45 milhões em duas iniciativas na Mata Atlântica, em parcerias com a organização ambiental global The Nature Conservancy (TNC) e com o Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ). Os projetos têm foco no plantio de árvores, na regeneração de corredores biológicos e na proteção de importantes bacias hidrográficas.

Muda usada em reflorestamento na região de Extrema, Minas Gerais. Foto: Felipe Fitipaldi

A empresa está investindo um valor proporcional à sua pegada de carbono no ano de 2020 para apoiar diretamente projetos de conservação e regeneração, que são cientificamente eficazes no combate às mudanças do clima e irão gerar novos créditos de carbono.

“Queremos contribuir com o desenvolvimento deste mercado, além de ajudar a preservar serviços ecossistêmicos vitais para as pessoas e as empresas, como a água que abastece milhões na região em que operamos.”

Pedro Arnt, CFO do Mercado Livre

Mais de 3 mil hectares serão restaurados por meio das duas iniciativas conduzidas neste ano. Os projetos Conservador da Mantiqueira, em parceria com a TNC, e Corridors For Life, em conjunto com o IPÊ, contribuirão para proteger a biodiversidade da região, manter os serviços ecossistêmicos gerados a partir de sua conservação, como água potável, ar puro, clima equilibrado, solos saudáveis, alimentos e matérias-primas, e capturar e armazenar carbono da atmosfera. 

“Temos consciência do aumento do nosso impacto ambiental e da responsabilidade de criarmos ações para mitigá-lo. Por isso, estamos tomando medidas concretas enquanto desenhamos nossa estratégia para ter o menor impacto no menor prazo possível. Já estamos atuando em todas as frentes de ação climática, medindo e reportando nossas emissões, desenvolvendo projetos de mobilidade elétrica, energias renováveis, gestão de materiais, a emissão de um título verde de US$400 milhões e, agora, investindo em soluções baseadas na natureza”, completa Pedro. 

Conheça os projetos

Trabalhando de forma conjunta com as comunidades da região, o Projeto Conservador da Mantiqueira promoverá a restauração de 2,7 mil hectares espalhados por pequenas e médias propriedades da região da Serra da Mantiqueira. A ideia é ganhar escala por meio da restauração de áreas florestais em territórios com grande potencial de regeneração natural. 

“A ciência tem mostrado que a restauração e a regeneração florestal podem contribuir de forma eficiente para mitigar os efeitos das mudanças climáticas. Por meio dessa iniciativa, a implementação de soluções baseadas na natureza é acelerada para proteger a biodiversidade de biomas icônicos e desenvolver um futuro mais próspero para pessoas e os negócios na América Latina”, afirma Santiago Gowland, Vice-Presidente Executivo de Inovação Global e Diretor Executivo para a América Latina na The Nature Conservancy.

Já o Corridors For Life criará corredores florestais entre áreas remanescentes de mata nativa, por meio do plantio de árvores em áreas degradadas, restaurando 300 hectares e permitindo que espécies de animais, algumas em extinção, possam transitar entre estas áreas.

Um dos pontos centrais do projeto é envolver as comunidades de agricultores, para que também participem e se beneficiem dessa restauração. Desta forma, serão utilizados sistemas agroflorestais e plantação de árvores com sementes comercializáveis. A intenção é plantar 1 milhão de árvores em 300 hectares.  Com as duas ações combinadas, a estimativa é que até 750 mil toneladas de CO2 possam ser removidas até 2045. 

Além da parceria com The Nature Conservancy e Instituto de Pesquisas Ecológicas, o Mercado Livre contará com o apoio da Pachama, uma startup que utiliza dados de satélite e inteligência artificial na proteção e gestão de ecossistemas, para realizar o monitoramento dos projetos.

“O Programa Regenera América é um trabalho articulado do Mercado Livre junto às comunidades locais e a importantes atores ambientais para acelerar soluções que combatam as mudanças do clima e seus efeitos para as pessoas e o meio ambiente. O ponto inovador é que os proprietários locais irão receber parte dos créditos de carbono gerados, que podem ser vendidos e o dinheiro reinvestido em seus empreendimentos, criando assim um ciclo virtuoso econômico e social’, afirma Guadalupe Marín, gerente regional de sustentabilidade do Mercado Livre.

Mata Atlântica

Foto: Robert Clark

A Mata Atlântica abriga mais de 15,7 mil espécies de plantas, sendo 8 mil endêmicas, ou seja, que só podem ser encontradas no bioma, e mais de 2,2 mil espécies de vertebrados, totalizando mais de 5% de todos os animais vertebrados do planeta.

Essa biodiversidade está cada vez mais ameaçada. A Mata Atlântica chegou a cobrir 15% do território brasileiro, e hoje restam cerca de 12% da área original. Segundo estudo de pesquisadores brasileiros publicado recentemente na revista Nature Communications, a ação humana já causou perda de biodiversidade e de biomassa em mais de 80% dos fragmentos florestais remanescentes da Mata Atlântica.

Em termos de estoque de carbono, o prejuízo equivale ao desmatamento de até 70 mil quilômetros quadrados de florestas. O estudo mostra, no entanto, que as áreas florestais degradadas podem recuperar sua capacidade de estocar carbono se restauradas.

- Publicidade -