- Publicidade -

Pelo visto o deputado Aldo Rebelo não é o único a tomar providências insanas, que prejudicam profundamente o meio ambiente. Com a desculpa de criar mais empregos, o deputado de Minas Gerais Gil Pereira (PP), criou um projeto de lei que tiraria a Mata Seca da área de preservação ambiental da Mata Atlântica.

O projeto foi votado em uma sessão extraordinária que contou com 46 dos 77 deputados de MG. Entre os participantes apenas um foi contra, Fábio Avelar (PSC). Caso o governador Antonio Anastasia (PSDB) sancione a lei, os 48% de mata seca restantes no estado podem desaparecer.

A sugestão do deputado Gil Pereira foi firmemente criticada por ambientalistas, já que a área está sob proteção federal, portanto o estado não tem o direito de alterar a legislação da área. Além disso, destruir uma área desse tamanho e com a importância que ela tem, é obter um prejuízo que demoraria no mínimo 115 anos para ser “ressarcido”.

- Publicidade -

Ainda em relação ao projeto de lei, a Universidade Estadual de Montes Claros realizou um estudo, em que foi constatado que os únicos beneficiados com o extermínio da mata seca seriam os latifundiários. O presidente da Fundação Mata Atlântica, Mário Mantovani, classifica a ação como uma insanidade, que beneficiará somente o setor siderúrgico, com a produção de carvão.

Vale lembrar, que Minas Gerais foi o estado que mais desmatou as áreas de Mata Atlântica entre os anos de 2008 e 2010, sendo que mais da metade de todo o desmatamento brasileiro ocorreu em território mineiro.

A decisão final está nas mãos do governador Antonio Anastasia. No caso de haver um veredito positivo, o Ibama e outras instituições e ONGs entrarão com ações contra essa “loucura” mineira.

Informações: www.uai.com.br

- Publicidade -