A quantidade de dióxido de carbono presente na atmosfera é a mais alta já registrada. De acordo com a NOAA (Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos EUA), a média global de CO2 no ar é de 400 partes por milhão.

A informação corresponde ao mês de março deste ano e foi obtida a partir de amostras coletadas em 40 locais diferentes em todo o mundo. Segundo a organização, este é o nível mais alto do poluente já visto em, pelo menos, um milhão de anos.

O aumento das emissões de CO2, um dos gases de efeito estuda mais comuns, é uma das grandes causas das mudanças climáticas, contribuindo para o aumento das tempestades, o derretimento de gelo no ártico e o aumento no nível dos oceanos. Dados anteriores mostraram que o nível já havia sido atingido em alguns pontos do Ártico e do Havaí, mas esta é a primeira vez que a média global chega a este número.

Em comunicado oficial, o pesquisador Pieter Tans explicou que os seres humanos são os principais causadores deste aumento. O especialista citou a queima de combustíveis fósseis como o maior problema e o responsável por fazer a concentração de CO2 na atmosfera passar de 120 ppm o período pré-industrial, para os 400 ppm atuais.

Os cientistas explicam que a média tem subido de duas a três partes por milhão ao ano e, para que seja possível manter o aumento das temperaturas em até dois graus, a concentração de CO2 no ar não pode ultrapassar os 450 ppm.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.